'Prejuízo de corrupção na Petrobras é maior que R$ 6 bi'

Afirmação é do procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima, feita em coletiva de imprensa nesta quinta-feira sobre a 15ª fase da Operação Lava Jato, que prendeu o ex-diretor da estatal Jorge Zelada; segundo ele, o número da Petrobras é válido para efeitos de balanço, mas é conservador

Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, do Ministério Público Federal (MPF), concede entrevista à Reuters, em Curitiba, nesta terça-feira. 23/06/2015 REUTERS/Rodolfo Buhrer
Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, do Ministério Público Federal (MPF), concede entrevista à Reuters, em Curitiba, nesta terça-feira. 23/06/2015 REUTERS/Rodolfo Buhrer (Foto: Gisele Federicce)

Reuters - Os prejuízos causados à Petrobras PETR4.SA decorrentes do esquema de corrupção investigado pela Lava Jato são significativamente maiores do que os 6 bilhões de reais apresentados no balanço da estatal, afirmou o procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima.

O número da Petrobras é válido para efeitos de balanço, mas é conservador, afirmou o procurador em entrevista à imprensa em Curitiba, após a prisão do ex-diretor internacional da Petrobras Jorge Zelada na manhã desta quinta-feira.

Após prisão de Zelada, MPF diz que investigação sobre diretorias na Petrobras chega a "bom termo"

O Ministério Público Federal está certo de que crimes estão acontecendo em outros níveis na Petrobras (PETR4.SA: Cotações), mas acredita que as investigações em torno das diretorias da estatal chegaram a um "bom termo".

Em entrevista coletiva, o procurador Carlos Fernando dos Santos disse que as investigações da operação Lava Jato apresentam fortes indicativos de que o ex-diretor internacional da Petrobras Jorge Zelada, preso na manhã desta quinta-feira, recebeu valores na área de aluguel de sondas.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247