Presidente da TIM renuncia após 7 meses

Andrea Mangoni assumiu o posto após a renúncia do ex-presidente Luca Luciani; empresa não cumpriu a meta de crescimento de 10% no ano passado, fechando 2012 com aumento de 7,6% na geração de caixa operacional

Presidente da TIM renuncia após 7 meses
Presidente da TIM renuncia após 7 meses (Foto: FABIO RODRIGUES-POZZEBOM/ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A TIM anunciou nesta terça-feira que seu diretor-presidente, Andrea Mangoni, renunciará ao cargo a partir de 4 de março, menos de um ano após chegar da controladora Telecom Italia para assumir o posto.

O Conselho de Administração deverá escolher novo presidente "no menor prazo possível", segundo fato relevante.

De acordo com o documento, Mangoni informou o Conselho de Administração que "considerava cumprida a missão para a qual foi encarregado no sentido de comandar uma transição tranquila na gestão da companhia".

A indicação de Mangoni, que atuava como diretor financeiro e de controle da Telecom Italia antes de assumir o cargo, fora anunciada em meados do ano passado, após a renúncia do ex-presidente Luca Luciani.

A TIM apresentou nesta terça-feira um crescimento de 7,6 por cento na geração de caixa operacional no fechado de 2012, abaixo da meta da empresa de 10 por cento, após um ano "mais duro do que o esperado", informou a companhia.

O não cumprimento do guidance da empresa para essa linha já era esperado por alguns analistas, em meio a um aumento de 26,3 por cento nos custos de produtos vendidos no ano passado, destacando a agressividade da empresa na busca de clientes por meio de aparelhos.

Assim, a receita líquida de produtos no ano foi de 2,34 bilhões de reais, alta de 35,3 por cento, enquanto os custos de produtos superaram 2,6 bilhões de reais.

Já a receita líquida de serviços, considerada mais rentável, cresceu apenas 6,9 por cento no ano todo, a 16,41 bilhões de reais.

Na última linha, a TIM teve lucro líquido de 462,5 milhões de reais no quarto trimestre de 2012, alta de 16,3 por cento sobre o mesmo período do ano anterior. Analistas esperavam, em média, lucro líquido de 476 milhões de reais no período, segundo pesquisa da Reuters.

O lucro líquido no fechado do ano teve avanço de 13,4 por cento, para quase 1,5 bilhão de reais.

A receita líquida da segunda maior operadora móvel do Brasil totalizou 5 bilhões de reais de outubro a dezembro, um crescimento anual 6,7 por cento, em linha as expectativas.

Com crescimento de 9,8 por cento de janeiro a dezembro, a 18,76 bilhões de reais, a receita líquida ficou dentro da tolerância do guidance da companhia de alta de 10 por cento.

Apesar de ajudar a cumprir a meta, a receita líquida do quarto trimestre mostra forte desaceleração frente ao avanço de 20 por cento apurado no último trimestre de 2011.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247