PSA Peugeot Citroën vira as costas para a França

Para atingir uma economia de 800 milhes de euros no prximo ano, montadora confirma corte de 6 mil vagas. Em contrapartida, investir R$ 3,7 bilhes no mercado brasileiro at 2015 uma estratgia difcil de engolir para os franceses

PSA Peugeot Citroën vira as costas para a França
PSA Peugeot Citroën vira as costas para a França (Foto: PHILIPPE WOJAZER/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Roberta Namour, correspondente do 247 em Paris – Por mais esperada que fosse, a notícia do corte de 6 mil vagas na PSA Peugeot Citroën – 5 mil só na França, caiu como uma bomba em Paris. A tal da crise financeira que anda assombrando a Europa começa a ser efetivamente sentida por aqui. A perspectiva de uma economia de 800 milhões de euros em 2012 está por trás da decisão da montadora.

De acordo com o representante sindical Jean-Pierre Mercier, na França, 1.900 empregos seriam cortados na área industrial e outros 3.100 em setores como vendas, pesquisa e desenvolvimento. Para Ricardo Madeira, do sindicato CFDT, esse plano é deplorável tendo em vista a remuneração dos dirigentes e dos dividendos de 200 milhões de euros que foram pagos recentemente.

Além disso, o notícia causa ainda mais impacto depois que a PSA anunciou no mês passado um investimento de R$ 3,7 bilhões no mercado brasileiro até 2015. Segundo Carlos Gomes, presidente do grupo para o Brasil e América Latina, o aporte servirá para ampliar a capacidade da produção de novos modelos e motores na fábrica de Porto Real, no Rio de Janeiro.

Atualmente, a unidade produtiva tem capacidade de 150 mil unidades por ano. Com o investimento, subirá para 300 mil unidades anuais. Já a produção de motores passará de 280 mil unidades para 400 mil unidades/ano. « O Brasil é a prioridade do grupo neste momento, e a tendência é produzir modelos que os brasileiros queiram comprar », afirmou o executivo.

Para se salvar da crise europeia, a montadora francesa vira as costas para seu país e apostas todas as suas fichas nos mercados emergentes. Uma tendência difícil de engolir para os franceses.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email