Relator tira da MP da Eletrobras exigência de contratação prévia de térmicas

Deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) ainda mantém a previsão de contratação das usinas, mas mudou o texto para que isso não precise ocorrer obrigatoriamente antes da desestatização

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters/Pilar Olivares)


SÃO PAULO (Reuters) - Um substitutivo à medida provisória (MP) de privatização da Eletrobras apresentado na tarde desta quarta-feira pelo relator do texto na Câmara retirou do texto obrigação expressa de que o governo realize uma contratação de novas termelétricas a gás antes da efetivação da operação.

O deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) ainda mantém a previsão de contratação dessas usinas, mas mudou o texto para que isso não precise mais ocorrer obrigatoriamente antes da desestatização.

O substitutivo, divulgado à imprensa pela assessoria do DEM, aponta que "será realizada" a compra de energia dos empreendimentos a gás e também pequenas centrais hidrelétricas PCHs, assim como a prorrogação de contratos de um programa de incentivo a renováveis, o Proinfa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Antes, o relatório do parlamentar previa que a privatização "estaria condicionada à contratação prévia" dos projetos térmicos e demais medidas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email