Rita Lobo: "se não têm pão, que comam brioches. Na França, acabou em guilhotina. No Brasil vai acabar em pizza"

A chef de cozinha Rita Lobo condenou a alta dos alimentos no Brasil e teme que, ao invés de indignação, o fato acabará em pizza

Rita Lobo
Rita Lobo (Foto: Reprodução/Instagram)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247  - A chef de cozinha Rita Lobo condenou em suas redes sociais nesta quinta-feira (11) a alta dos alimentos no Brasil e teme que, ao invés de indignação, o fato acabará em pizza. 

O preço do arroz, um produto indispensável na mesa do brasileiro, deve subir ainda mais. Foi o que afirmou Ronaldo dos Santos, presidente da Apas (Associação Paulista de Supermercados).

Ele responsabiliza a própria população pelo aumento do preço. O povo estaria consumindo demais, o que seria o fator determinante para a subida do preço. O dirigente da associação de supermercados diz que se o consumo não diminuir, o varejo terá de acessar novos estoques e um repasse seria inevitável. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247