Teles alertam: se Bolsonaro vetar Huawei no 5G, internet dos brasileiros será mais cara

Em reunião com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, membros de operadoras de telefonia afirmaram que haverá atrasos e repasse de custos para os consumidores caso o governo Jair Bolsonaro barre a prestação do serviço pela Huawei. Empresas disseram que podem ter um custo de até R$ 100 bi em novos investimentos para compensar um possível veto à fabricante chinesa

Bolsonaro e 5G
Bolsonaro e 5G (Foto: Marcos Correa/PR | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em reunião com o ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN), nessa terça-feira (8), membros de operadoras de telefonia defenderam o fornecimento da 5G pela Huawei das redes de telecomunicações do País. Eles argumentaram que haverá atrasos e repasse de custos para os consumidores caso o governo Jair Bolsonaro baixe um decreto para barrar a prestação do serviço pela fabricante chinesa. Segundo estimativa das empresas, o veto à 5G terá como consequência a necessidade de trocar o aparato 3G e 4G em funcionamento no Brasil, o que poderá custar até R$ 100 bilhões.

Participaram da reunião os presidentes das principais operadoras - Christian Gebara (Vivo), Pietro Labriola (Tim), Rodrigo Abreu (Oi), José Félix (Claro) e Jean Borges (Algar). Também esteve presente no encontro Marcos Ferrari, presidente da Conéxis, associação que representa o setor.

Na conversa, as empresas de telefonia disseram que, desde 2007, já investiram mais de R$ 150 bilhões na construção de redes 3G e 4G. Em alguns casos, mais da metade dessa infraestrutura possui equipamentos da Huawei, pontuaram, de acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

O aparato não dialoga com os equipamentos 5G dos demais fornecedores. Sem a Huawei, a maioria dos usuários não poderá se comunicar com aqueles que migrarem para o 5G. 

Em palestra na segunda-feira (7) o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, sinalizou ser contrário a um veto. "Se, por um acaso, dissessem: 'A Huawei não pode fornecer equipamento', vai custar muito mais caro. Porque vai ter que desmantelar tudo que tem aqui, porque ela não fala com os equipamentos das outras. E quem é que vai pagar esta conta? Somos nós, consumidores. Eu vejo dessa forma", disse na Associação Comercial de São Paulo.

No dia seguinte Bolsonaro reagiu. "Cada ministro tem a sua atribuição. Nós aqui vivemos em harmonia e ninguém ultrapassa os seus limites", disse. "Ninguém fala comigo de 5G sem antes conversar com o ministro Fábio Faria", complementou em cerimônia no Palácio do Planalto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email