Servir bem, para servir sempre

O garom Daniel Mendez vendeu um automvel gol para criar a GranSapore, hoje a maior empresa brasileira de refeies coletivas. Seu truque? Ser a referncia na boa prestao de servios

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Márcio Kroehn_247 - Em Jaguarão, cidade do interior do Rio Grande do Sul, distante 472 quilômetros de Porto Alegre, Daniel Mendez começou a trabalhar como garçom no restaurante da família. Aos 13 anos, esse uruguaio de nascimento e brasileiro por adoção não tinha percebido que tinha nascido para servir. Se naquele momento podia ser difícil para ele perceber a sua vocação, hoje fica muito fácil entender que a sua bem-sucedida trajetória profissional teve início naquele momento. Sócio-presidente da GranSapore, a maior empresa brasileira de refeições coletivas, que está em segundo no ranking do setor atrás apenas da inglesa GRSA, Mendez serve diariamente 900 mil pratos em 1.000 restaurantes espalhados em empresas de Manaus ao Rio Grande do Sul.“Cheguei a trabalhar em escritório, mas ficar sentado atrás de uma mesa não era para mim. Quando fui para uma rede hoteleira, percebi que gosto de conversar, agradar e sentir quem estou servindo”, afirma ele. “Com o serviço de refeições, consigo ver a satisfação do cliente em tempo real e isso é muito importante.”

Neste ano, a Sapore quer ganhar novos milhares. Chegar à 1 milhão de refeições servidas será uma importante marca, embora seja mais provável que esse número aconteça no ano que vem, quando a empresa comemora 20 anos de existência. Certo mesmo é que Mendez terá um negócio com faturamento bilionário em 2011. O crescimento nesses primeiros mesesindica que dezembro será de comemoração. Mas, para chegar até esse estágio, ele precisou arriscar. No final dos anos 1980, Mendez viajou de Porto Alegre para São Paulo para montar a filial da Puras, empresa de refeições coletivas para a qual trabalhava. Estava em Campinas, aos 26 anos, com muitas ideias e vontade de fazer algo diferente para a área de serviços. Chegou a tentar ser dono de uma pousada no Nordeste, mas era com os restaurantes em empresas que ele queria trabalhar. Em 1992, voltou para a cidade do interior paulista, vendeu seu carro, um gol GTI, e montou a Sapore. “O primeiro cliente contou que fechou comigo pelo brilho nos meus olhos. Eu tinha que entregar algo diferente”, diz Mendez.

No início eram 500 refeições. Nos primeiros tempos, um grande cliente e seis menores. E qual era o diferencial? Mendez criou o conceito dos restaurantes coletivos que tinham atendimento diferenciado, serviço atencioso, conforto para o trabalhador e sorriso de quem estava servindo. A Sapore, de fato, surpreendeu um mercado que pensava que refeição era apenas oferecer uma boa cozinha.“Mendezconseguiu inovar e diversificar os serviços. Esse é o mundo dele, onde está bem estabelecido e conhece profundamente o mercado de refeição coletiva”, diz Boanerges Ramos Freire, especialista em varejo financeiro e sócio da consultoria que leva o seu nome.

Nessas quase duas décadas de prestação de serviço, Mendezsentiu-se fragilizado há alguns anos. A empresa estava em expansão, mas veio o pior momento. A crise econômica mundial de 2008 foi uma enxurrada para muitos clientes, que tiveram que reduzir os negócios, cortar custos e renegociar contratos. “Viemos a redução de metade do nosso faturamento. Essa queda na receita exigiu uma mudança dos sistemas e nos obrigou a repensar as atitudes”, conta ele. A desistência não estava nos planos, mas a diversificação, sim. Em 2009, criou a Sapore Benefícios, especializada em tíquetes de benefício refeição ou alimentação, em uma associação com a Banquet Benefícios. Atualmente, a empresa tem 300 mil cartões emitidos e ainda está distante das líderes Ticket, VisaVale e Sodexo, as três companhias que dominam esse mercado. O curioso é que, enquanto empresas como o Grupo Accor, dono da Ticket, vendeu a GRSA para focar em uma especialidade, Mendez busca a oferta completa de serviços.

O ponto chave, daqui para frente, é conseguir perpetuar os seus negócios. “Daniel Mendez tem o desafio de despersonalizar a Sapore nos próximos anos e conseguir pensar na transição que muitos empresários de sucesso não conseguiram”, diz Ramos Freire. De fato uma empresa marcada pela característica de seu criador precisa buscar alternativas para o futuro. Mas, neste momento, Mendez está pensando em novas maneiras de continuar atraindo a simpatia e a fidelidade de seus clientes. É assim que ele pode fazer a Sapore ir mais longe. Inclusive para mercados internacionais, que ele experimentou há quatro anos e hoje serve 55 mil refeições no México e na Colômbia. Mendez traz com ele esse vício desde pequeno: gostar de servir bem e sempre.

----------------------

Sabor de Sucesso Made in Brasil

Por Ricardo Bellino

De acordo com Daniel Mendez, a lógica da Gran Sapore, que em 19 anos enfrentou cenários econômicos marcados pela hiperinflação e por três grandes crises, é diversificar. Agora a Gran Sapore está no segmento de benefícios, onde pretende manter a trajetória de ascensão.

Visualisar, diversificar, planejar e agir sao os ingredientes da receita de sucesso da Gran Sapore e importantes ensinamentos que destaco na edicao desta semana do especial Made in Brasil.

Não importa a distância ou a duração do percurso. Qualquer jornada sempre começa com o primeiro passo. E o fato é que todos os dias podemos dar um passo a mais para realizar nossos sonhos. O problema é que esses primeiros passos nem sempre são grandiosos ou glamurosos. Na verdade, raramente o são. Há que se ter disciplina e persistência para fazer uma série de coisas que parecem chatas e sem graça, como acordar mais cedo ou abrir mão de parte do tempo reservado ao lazer para trabalhar naquele projeto pessoal, adiar viagens e compras a fim de poder juntar o dinheiro necessário para investir em seus planos, colocar em segundo lugar seus prazeres e descanso para dedicar-se ao planejamento e à ampliação da rede de contatos... Pois é, às vezes dá preguiça só de pensar.

Mas quando se trata de pensar nos resultados que desejamos obter, sempre damos um jeito de encontrar tempo. Imaginamos a nós mesmos recebendo os louros da vitória, ganhando parabéns e congratulações, desfrutando do sucesso com que tanto sonhamos... Há quem diga que isso se chama visualização. Ao visualizar-se realizando os seus sonhos, você está se automotivando e atraindo as energias necessárias para que eles se concretizem. Bem, tudo isso é possível. Os grandes realizadores sempre têm uma visão clara de suas metas. Mas é preciso lembrar que eles não ficam só nisso. Ao mesmo tempo em que visualizam algo, eles também se disciplinam para agir, para dar todos aqueles passos iniciais, às vezes chatos, mas sempre necessários – e é isso que realmente os coloca em movimento.

Imaginação sem planejamento e ação não é visualização. É apenas sonhar acordado.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email