Sócios do BTG negociam compra de ações de Esteves

Eles visam proteger a instituição do envolvimento nas acusações contra André Esteves, preso na Lava Jato por tentar atrapalhar as investigações e impedir a delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras; o banco também tenta honrar com seus compromissos de curto prazo, com a venda de alguns ativos como Estapar e BR Pharma que, juntos com a fatia da Rede D’Or, poderiam levantar até R$ 5 bilhões

Eles visam proteger a instituição do envolvimento nas acusações contra André Esteves, preso na Lava Jato por tentar atrapalhar as investigações e impedir a delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras; o banco também tenta honrar com seus compromissos de curto prazo, com a venda de alguns ativos como Estapar e BR Pharma que, juntos com a fatia da Rede D’Or, poderiam levantar até R$ 5 bilhões
Eles visam proteger a instituição do envolvimento nas acusações contra André Esteves, preso na Lava Jato por tentar atrapalhar as investigações e impedir a delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras; o banco também tenta honrar com seus compromissos de curto prazo, com a venda de alguns ativos como Estapar e BR Pharma que, juntos com a fatia da Rede D’Or, poderiam levantar até R$ 5 bilhões (Foto: Roberta Namour)

247 - Os sócios do BTG Pactual agem com rapidez pela aquisição das ações de André Esteves no banco, aproximadamente 30%, segundo o Broadcast Político.

Eles visam proteger a instituição do envolvimento nas acusações contra Esteves, preso na Lava Jato por tentar atrapalhar as investigações e impedir a delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras.

O banco também tenta honrar com seus compromissos de curto prazo com a venda de alguns ativos como Estapar e BR Pharma que, juntos com a fatia da Rede D’Or, poderiam levantar até R$ 5 bilhões (leia mais).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247