Temer pode não ter votos para urgência em reforma trabalhista

Para aprovar o regime de urgência na tramitação da reforma trabalhista, o governo precisa de 54 dos 81 votos dos senadores; hoje, porém, a avaliação é de que ainda é incerto se o Planalto conseguiria angariar os votos necessários; nem a bancada do PMDB, partido de Michel Temer e que representa quase um terço dos votos, está unida em torno do tema

michel temer
renan calheiros 
michel temer renan calheiros  (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A votação da reforma trabalhista pode se revelar desastrosa para o governo.

A passagem da proposta pelo Senado pode levar meses, sem um requerimento para a tramitação em regime de urgência.

O problema para o governo é que para aprovar esse tipo de pedido são necessários 54 dos 81 votos dos senadores.

"Um teste que pode se revelar desastroso, no momento em que nem a bancada do PMDB, partido de Michel Temer e que representa quase um terço dos votos, está unida em torno do tema.

Hoje, para conter as rebeldias dos peemedebistas liderados por Renan Calheiros, Michel Temer começa o dia com a bancada, em reunião no Planalto. À noite, os senadores jantam na casa de Marta Suplicy. A ausência de um pedido de urgência no plenário, nas próximas horas, pode ser sinal de que o governo ainda não tem maioria para aprovar a reforma."

As informações são da coluna Poder em Jogo de O Globo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247