Temos que afastar executivos que fizeram “lambança”, diz presidente do BNDES

Paulo Rabello de Castro defendeu nesta quinta-feira, 1º, a pressão pela saída de executivos que tenham se envolvido em irregularidades em empresas investidas pelo banco; sem citar nominalmente a JBS, cuja holding J&F firmou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF) após admitir ter pago propina a políticos, Castro disse que "temos que afastar controladores de grandes empresas que fizeram lambanças"

Paulo Rabello de Castro defendeu nesta quinta-feira, 1º, a pressão pela saída de executivos que tenham se envolvido em irregularidades em empresas investidas pelo banco; sem citar nominalmente a JBS, cuja holding J&F firmou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF) após admitir ter pago propina a políticos, Castro disse que "temos que afastar controladores de grandes empresas que fizeram lambanças"
Paulo Rabello de Castro defendeu nesta quinta-feira, 1º, a pressão pela saída de executivos que tenham se envolvido em irregularidades em empresas investidas pelo banco; sem citar nominalmente a JBS, cuja holding J&F firmou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF) após admitir ter pago propina a políticos, Castro disse que "temos que afastar controladores de grandes empresas que fizeram lambanças" (Foto: Aquiles Lins)

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, defendeu nesta quinta-feira a pressão pela saída de executivos que tenham se envolvido em irregularidades em empresas investidas pelo banco.

Sem citar nominalmente a JBS, cuja holding J&F firmou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF) após admitir ter pago propina a políticos, Castro disse que "temos que afastar controladores de grandes empresas que fizeram lambanças".

O BNDES detém pouco mais de 20 por cento do capital da JBS e pressionou pela saída de Joesley Batista, um dos controladores da J&F, da presidência do conselho de administração da JBS, o que aconteceu na última sexta-feira.

Falando a jornalistas minutos antes da cerimônia de sua posse à frente do banco, o executivo disse também que fará "muito pouca coisa diferente" de sua antecessora, Maria Silvia Bastos Marques, que renunciou ao cargo na última sexta-feira.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247