Tempestade vai atingir Temer em março, prevê consultoria de risco

Eurasia, a principal consultoria de risco político do mundo, prevê que março será um mês de grandes turbulências no Brasil; a divulgação da delação da Odebrecht, a discussão no Congresso da polêmica reforma da Previdência e protestos contra Michel Temer devem marcar o mês; "A semana do carnaval é a calma antes da tempestade", diz o texto distribuído a investidores internacionais pela Eurasia; a consultoria aposta na demissão de Eliseu Padilha, de quem José Yunes, melhor amigo de Temer, disse ter sido "mula", e na abertura de inquéritos contra diversos políticos da base governista

Eurasia, a principal consultoria de risco político do mundo, prevê que março será um mês de grandes turbulências no Brasil; a divulgação da delação da Odebrecht, a discussão no Congresso da polêmica reforma da Previdência e protestos contra Michel Temer devem marcar o mês; "A semana do carnaval é a calma antes da tempestade", diz o texto distribuído a investidores internacionais pela Eurasia; a consultoria aposta na demissão de Eliseu Padilha, de quem José Yunes, melhor amigo de Temer, disse ter sido "mula", e na abertura de inquéritos contra diversos políticos da base governista
Eurasia, a principal consultoria de risco político do mundo, prevê que março será um mês de grandes turbulências no Brasil; a divulgação da delação da Odebrecht, a discussão no Congresso da polêmica reforma da Previdência e protestos contra Michel Temer devem marcar o mês; "A semana do carnaval é a calma antes da tempestade", diz o texto distribuído a investidores internacionais pela Eurasia; a consultoria aposta na demissão de Eliseu Padilha, de quem José Yunes, melhor amigo de Temer, disse ter sido "mula", e na abertura de inquéritos contra diversos políticos da base governista (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A Eurasia, a principal consultoria de risco político do mundo, sediada em Nova York, prevê que março será um mês de grandes turbulências no Brasil, com potencial para abalar o governo de Michel Temer.

Segundo a consultoria, a divulgação da delação da Odebrecht, a discussão no Congresso da polêmica reforma da Previdência e protestos contra Michel Temer devem marcar o mês.

"A semana do carnaval é a calma antes da tempestade", diz o texto distribuído a investidores internacionais pela Eurasia.

A consultoria aposta na demissão de Eliseu Padilha, de quem José Yunes, melhor amigo de Temer, disse ter sido "mula", e na abertura de inquéritos contra diversos políticos da base governista.

Nos últimos dias, o Brasil foi tomado de gritos de "Fora Temer", durante o Carnaval. Nesta tarde, Marcelo Odebrecht depôs no processo do Tribunal Superior Tribunal Eleitoral, que pode levar à cassação de Temer.

A empreiteira pagou R$ 11 milhões a Temer, que saíram do seu departamento de propinas. Parte do dinheiro foi entregue no escritório de Yunes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247