Termômetro do PIB, setor de embalagens deve cair no 1º trimestre

Considerado um indicador antecedente —ou seja, seu comportamento antecipa a direção que a economia vai tomar—, o setor de embalagens deve cair no primeiro trimestre; as empresas do ramo produziram 4,2% a menos no ano passado do que em 2015. Foi a segunda retração na mesma proporção, a queda no ano anterior havia sido de 4,41%

fábrica, embalagens
fábrica, embalagens (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Considerado um indicador antecedente —ou seja, seu comportamento antecipa a direção que a economia vai tomar—, o setor de embalagens deve cair no primeiro trimestre. As empresas do ramo produziram 4,2% a menos no ano passado do que em 2015. Foi a segunda retração na mesma proporção, a queda no ano anterior havia sido de 4,41%.

As informações são da coluna Mercado Aberto da Folha de S.Paulo

"O resultado foi aquém do esperado pela Abre, associação do segmento, que encomenda o estudo à FGV.

A característica do ano passado é que não houve uma queda linear, mas de meses ruins. Existiu uma melhora pós-impeachment e, depois, uma nova degradação.

"Ocorreu uma euforia com a possibilidade de recuperação no meio do ano. Isso não se sustentou porque não existia motivo econômico que mantivesse um viés de crescimento", afirma Luciana Pellegrino, diretora da Abre."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email