Termômetro do PIB, setor de embalagens deve cair no 1º trimestre

Considerado um indicador antecedente —ou seja, seu comportamento antecipa a direção que a economia vai tomar—, o setor de embalagens deve cair no primeiro trimestre; as empresas do ramo produziram 4,2% a menos no ano passado do que em 2015. Foi a segunda retração na mesma proporção, a queda no ano anterior havia sido de 4,41%

fábrica, embalagens
fábrica, embalagens (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Considerado um indicador antecedente —ou seja, seu comportamento antecipa a direção que a economia vai tomar—, o setor de embalagens deve cair no primeiro trimestre. As empresas do ramo produziram 4,2% a menos no ano passado do que em 2015. Foi a segunda retração na mesma proporção, a queda no ano anterior havia sido de 4,41%.

As informações são da coluna Mercado Aberto da Folha de S.Paulo

"O resultado foi aquém do esperado pela Abre, associação do segmento, que encomenda o estudo à FGV.

A característica do ano passado é que não houve uma queda linear, mas de meses ruins. Existiu uma melhora pós-impeachment e, depois, uma nova degradação.

"Ocorreu uma euforia com a possibilidade de recuperação no meio do ano. Isso não se sustentou porque não existia motivo econômico que mantivesse um viés de crescimento", afirma Luciana Pellegrino, diretora da Abre."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247