Troca na Receita pode blindar Flávio Bolsonaro, diz Bernardo Mello Franco

O colunista Berrnardo Mello Franco, do Globo, aponta que o motivo real da demissão de Marcos Cintra talvez não seja a CPMF, também defendida por Paulo Guedes, mas sim a tentativa de proteger o clã Bolsonaro, em mais um aparelhamento da máquina pública por Jair Bolsonaro

247 – "Em poucas semanas, Jair Bolsonaro desmontou o Coaf, fritou o diretor da Polícia Federal e indicou um aliado para a Procuradoria-Geral da República. Agora chegou a vez de mexer no comando da Receita. O presidente atribuiu a demissão de Marcos Cintra ao projeto da nova CPMF. É uma versão capenga, que não explica a troca abrupta. Na segunda-feira, o ministro Paulo Guedes também defendeu a recriação do imposto. Chegou a fornecer detalhes sobre alíquotas e previsão de arrecadação", diz o colunista Bernardo Mello Franco, em artigo no Globo.

Ele aponta que o motivo real pode ser outro. "O capitão tem um motivo mais próximo para se incomodar. A Receita participava ativamente das investigações que envolvem o senador Flávio Bolsonaro, suspeito de embolsar salários de assessores. O caso está paralisado por decisão do ministro Dias Toffoli", afirma.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247