Um tremor de US$ 100 bilhões

Saiu a primeira estimativa dos prejuzos causados pelo terremoto no Japo. A soma astronmica

Além das mais de 1.500 vidas ceifadas até agora pelo terremoto que devastou o Japão na sexta-feira, 11, o país agora contabiliza os prejuízos financeiros provocados pelo desastre. Foram US$ 100 bilhões. Desse total, as seguradoras provavelmente cobrirão até US$ 34,6 bilhões. Os cálculos são da AIR Worldwide e da Eqecat, duas companhias que desenvolvem sistemas esquemas para cálculos de catástrofes para seguradoras e outras companhias. Os relatórios ainda são preliminares. A Eqecat relatou que os prejuízos econômicos ainda vão crescer, acompanhando a evolução da situação.

As províncias do litoral leste de Ibaraki, Tochigi, Miyagi, Iwate e Fukushima foram as mais afetadas pelo terremoto e pelo tsunami. Só no campo habitacional, as perdas podem superar US$ 20 bilhões. Os danos registrados em instalações comerciais é igualmente significativo. Fábricas de empresas como Honda, Toyota, Nissan e Sony não estão funcionando. Outra fonte dos prejuízos é a infraestrutura. Só nesse item as perdas somam US$ 30 bilhões. O rombo financeiro pela destruição de portos e navios atingiram US$ 10 bilhões.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247