União vai vender ativos para reforçar caixa

O governo federal pretende vender ativos, como terrenos e imóveis pouco utilizados e de alto custo de manutenção, além de alienar a folha de pagamentos de 1,2 milhão de servidores públicos civis; hoje, o Banco do Brasil concentra a folha de pagamentos e a União não é remunerada por estas operações; previsão é que o leilão da folha de pagamentos – que movimenta cerca de R$ 139,9 bilhões anuais, seja realizado no segundo semestre deste exercício, de acordo com o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira

O governo federal pretende vender ativos, como terrenos e imóveis pouco utilizados e de alto custo de manutenção, além de alienar a folha de pagamentos de 1,2 milhão de servidores públicos civis; hoje, o Banco do Brasil concentra a folha de pagamentos e a União não é remunerada por estas operações; previsão é que o leilão da folha de pagamentos – que movimenta cerca de R$ 139,9 bilhões anuais, seja realizado no segundo semestre deste exercício, de acordo com o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira
O governo federal pretende vender ativos, como terrenos e imóveis pouco utilizados e de alto custo de manutenção, além de alienar a folha de pagamentos de 1,2 milhão de servidores públicos civis; hoje, o Banco do Brasil concentra a folha de pagamentos e a União não é remunerada por estas operações; previsão é que o leilão da folha de pagamentos – que movimenta cerca de R$ 139,9 bilhões anuais, seja realizado no segundo semestre deste exercício, de acordo com o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira (Foto: Paulo Emílio)

247 - O governo federal pretende vender ativos, como terrenos e imóveis pouco utilizados e de alto custo de manutenção, além de alienar a folha de pagamentos de 1,2 milhão de servidores públicos civis. Hoje, o Banco do Brasil concentra a folha de pagamentos e a União não é remunerada por estas operações. A previsão é que o leilão da folha de pagamentos, que movimenta cerca de R$ 139,9 bilhões anuais, seja realizado no segundo semestre deste exercício. 

De acordo com o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, a modelagem para a venda dos ativos ainda está sendo avaliada, mas a licitação da folha de pagamentos deverá acontecer em lotes, agrupando diversos estados. Atualmente, os salários são depositados em cerca de 30 instituições financeiras, sendo que o Banco do Brasil detém 70% das transações.

Além da folha de pagamentos, o governo também quer vender imóveis com pouco uso ou de custo de manutenção elevado, além de fazer uma revisão nos que estão subaproveitados e que poderiam abrigar mais de órgão da administração pública federal. Segundo o jornal o Globo, o governo gasta anualmente cerca de R$ 1,1 bilhão com o pagamento de aluguéis de dois mil imóveis, sendo R$ 950 milhões no Brasil e mais R$ 170 milhões no exterior.

Veja aqui a matéria publicada pelo O Globo sobre o assunto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247