Vale já tem R$ 6 bilhões bloqueados depois da catástrofe de Brumadinho

O crime ambiental de Brumadinho (MG), que deixa ao menos 34 mortos, custará caro aos acionistas da Vale, empresa privatizada no governo FHC e hoje comandada pelo executivo Fábio Schvartsmnan. A Justiça do estado de Minas Gerais bloqueou R$ 5 bilhões da mineradora Vale neste sábado (26). A informação foi divulgada pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais e soma a mais R$ 1 bilhão já bloqueados

www.brasil247.com - Vale já tem R$ 6 bilhões bloqueados depois da catástrofe de Brumadinho
Vale já tem R$ 6 bilhões bloqueados depois da catástrofe de Brumadinho


Sputinik – A Justiça do estado de Minas Gerais bloqueou R$ 5 bilhões da mineradora Vale neste sábado (26). A informação foi divulgada pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais e soma a mais R$ 1 bilhão já bloqueados.

O bloqueio menor foi pedido na sexta-feira (25) pelo governo mineiro. Já os R$ 5 bilhões deste sábado (26) foram um pedido do procurador-geral do Ministério Estadual de Minas.

O bloqueio judicial é consequência direta do rompimento de uma barragem na cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, que já deixou 34 mortos até agora e cerca de 300 pessoas desaparecidas desde o momento do acidente, na sexta-feira (25).

A decisão do Ministério Público ainda aponta que a Vale deve garantir a estabilidade da barragem VI do Complexo da Mina do Feijão.

O texto ainda exige que a mineradora prepare relatórios a cada 6 horas sobre as medidas que forem adotadas. Os documentos devem ser enviados diretamente à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, assim como à Defesa Civil do estado e ao Corpo de Bombeiros.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email