"Vamos trazer a agenda da economia popular para o debate", diz Mercadante

"São 19 milhões de pessoas passando fome, 32 milhões de pessoas na economia informal e inflação arrebentando", lembrou o presidente da Fundação Perseu Abramo

www.brasil247.com - Aloizio Mercadante
Aloizio Mercadante (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ex-ministro Aloizio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo, criticou a cobertura "monotemática" da pauta econômica pela mídia corporativa brasileira, dedicada quase exclusivamente a expressar o ponto de vista do mercado financeiro. "Existe outra agenda", lembrou o economista: a das pessoas que passam fome e trabalham informalmente. 

"Nós temos interesse em debater ideias, apesar que muitas vezes a cobertura é quase monotemática. A única agenda que parece interessar uma parte do debate político é a agenda da Faria Lima. Existe outra agenda: são 19 milhões de pessoas passando fome, 32 milhões de pessoas na economia informal, inflação arrebentando o custo de vida das pessoas, os reajustes salariais muito abaixo da inflação. Não era assim no nosso governo", afirmou o presidente da Fundação Perseu Abramo em matéria do UOL

A presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann, reforçou que a prioridade do programa de governo de Lula será a retomada da atividade econômica pela base dos trabalhadores. "Nosso foco é na economia popular. Ou seja, como tirar as pessoas da vida triste que estão vivendo. E não é para responder ao mercado brasileiro. Aliás, achamos que está na hora de o mercado dizer o que vai fazer pelo Brasil e pelo povo brasileiro", disse Gleisi. 

PUBLICIDADE

Gleisi e Mercadante participaram de uma reunião na Perseu Abramo, em São Paulo, com um grupo de economistas, entre eles os ex-ministros Guido Mantega e Tereza Campello, para debater e aprofundar as propostas que serão defendidas pelo PT na campanha eleitoral. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email