Voos na pandemia: rotas aéreas ativas no Brasil são pouco mais da metade das de 2019, diz Anac

Até julho deste ano apenas 56,2% das rotas aéreas no Brasil foram retomadas - um total de 231 rotas. No mesmo período de 2019, o número de trechos ativos era de 411

Aeroporto Internacional de São Paulo
Aeroporto Internacional de São Paulo (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Após cinco meses de pandemia do novo coronavírus no país, as rotas aéreas ainda operam com pouco mais de metade da capacidade de 2019, refletindo o descontrole da COVID-19 no país.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicados pelo portal G1 neste domingo (23) apontam que até julho deste ano apenas 56,2% das rotas aéreas no Brasil foram retomadas - um total de 231 rotas. No mesmo período de 2019, o número de trechos ativos era de 411.

Em abril, no pior momento da pandemia na aviação civil, havia 125 rotas ativas, o equivalente a 29% das rotas ativas no mesmo período de 2019, quando eram 431 rotas. Uma rota ativa é a ligação entre dois aeroportos com oferta de pelo menos um voo regular.

Ainda segundo o portal G1, a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) aponta que o as decolagens no Brasil hoje estão em 30% do esperado para voos domésticos antes da crise. Já Anac aponta que houve crescimento de 11,43% no total de aeroportos atendidos em agosto, o que pode se refletir no número de rotas ativas.

A movimentação de passageiros é ainda menor. A taxa chegou a cair 90% em alguns aeroportos em determinados momentos da pandemia, agora gira em torno de 20% do esperado normalmente para a primeira quinzena de agosto em alguns locais. É o caso do aeroporto de Salvador (20%), de Confins, que atende a capital mineira (22,3%), e do Galeão, no Rio de janeiro (17%).

A pandemia no Brasil segue em ritmo forte, com uma média diária de mortes girando em torno de mil mortes e a continuidade da recomendação de isolamento, apesar da reabertura econômica. Segundo os dados mais recentes do consórcio de veículos de imprensa, o Brasil registra 114.469 mortes e 3.589.469 casos de COVID-19.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247