Orlando Zaccone: disputa entre PT e PDT deve ter respeito

Delegado de Polícia Civil e candidato a deputado federal pelo PDT-RJ, ele ainda é um dos fiéis seguidores de Ciro Gomes, mas reconhece que a campanha do voto útil é legítima

www.brasil247.com - Orlando Zaccone
Orlando Zaccone (Foto: Reprdução/Facebook)


Por Marcelo Auler - Candidato a deputado federal pelo PDT do Rio de Janeiro, o delegado de Polícia Civil Orlando Zaccone é ainda um dos fiéis seguidores do candidato Ciro Gomes. Defende, inclusive, sua permanência na disputa. Mas reconhece que a campanha do voto útil que vem sendo feita pelo PT é legítima: “Eu concordo que o discurso do voto útil, nesse momento eleitoral, é completamente legítimo. Acho que o Lula e o PT têm todo o direito de usar os argumentos que quiserem para convencerem os eleitores de que a fatura tem que terminar no primeiro turno.”

Faz, porém, um alerta. Diz ser preciso “diminuir a tensão e essa pressão que está acontecendo agora. Estamos esquecendo do Bolsonaro. Estou vendo a militância petista falando só do Ciro e do PDT e a militância do Ciro falando do Lula e do PT. Acho que isso não vai dar certo não”.
Esse alerta visa não apenas a possibilidade de ocorrer um segundo turno entre Lula e Bolsonaro deixar o caminho pacificado para que o PDT, como partido político, apoie a candidatura da esquerda, independentemente do comportamento que for ter Ciro Gomes. Mas ele fala também da necessidade das forças progressistas reerguerem o país depois do furacão que foi o governo Bolsonaro.

“O que eu questiono e acho é que não devemos prosseguir, de todos os lados, não apenas da militância petista, mas também da militância cirista, é que esta disputa eleitoral prejudique o nosso olhar de que estamos, nesse momento político, no mesmo campo de enfrentamento. Nós queremos – e isso é o mais importante – tirar o Bolsonaro. As estratégias são distintas.” Ele insiste:

“Acho muito perigoso que a gente deixe esquentar o termômetro das nossas diferenças no campo da esquerda que possa prejudicar no segundo turno. (...) Acho que esse debate que a militância está fazendo hoje, tanto a militância do Ciro como a do PT, esse embate esquentado nas redes sociais vai ser muito prejudicial para gente lá na frente. O próprio Lula é mais esperto que todo mundo. Quando teve o debate na TV o Lula disse que o Ciro Gomes é uma pessoa que ele nunca vai bater de frente, que ele respeita. O Lula sabe fazer política no sentido de entender que nós precisamos de uma relação respeitosa”.

Zaccone defende, inclusive, que parte do programa de Ciro Gomes seja adotado por um futuro governo de Lula:
“Repara, tem muita coisa que foi escrita pelo Ciro no Projeto Nacional de Desenvolvimento que eu acredito que caso um outro candidato da esquerda – vamos falar do Lula – for aprovado, pode ser aproveitado. E deve ser aproveitado.”

Na entrevista que deu à TV 247 (gravada na segunda-feira, dia 19, pela manhã), Zaccone também defendeu a necessidade de desmilitarizar as polícias, mas mostrou que o enfoque desse debate nas forças de esquerda está sendo errado.

“A desmilitarização das polícias militares tem sido debatida de uma forma ruim na esquerda. Nós fazemos um debate errado. Costumam relacionar desmilitarização com redução da violência policial. ’Vamos desmilitarizar a polícia para ela ser menos violenta’. Mentira. As polícias civis podem ser muito mais violentas que a polícia militar. E a Polícia Civil do Rio de Janeiro demonstrou isso na operação mais letal da história das polícias que foi no Jacarezinho com 27 pessoas mortas”.

Para ele, o “ponto certo do debate sobre a desmilitarização é cortar o cordão umbilical que liga as polícias militares ao comando do Exército. Isso teremos que fazer. Por quê? Porque feita essa separação vamos devolver ao policial militar a condição de um trabalhador e de servidor civil – o que é importante, como reconhecimento dele como trabalhador – e vamos resgatar dois princípios: o democrático e o federativo”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email