Bolsonaro veta auxílio para atletas ao sancionar “lei de socorro” ao esporte

Decisão frustra a comunidade do esporte, e também clubes endividados, como o Cruzeiro

Bolsonaro no Maracanã (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR)
Bolsonaro no Maracanã (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR) (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nesta quinta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro publicou no Diário Oficial da União a Lei 14.073/2020, que, apesar de se declarar como “lei de socorro” ao esporte, inclui um total de 12 vetos. Estes envolvem o auxílio emergencial de R$600 aos atletas de baixa renda e o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol (Profut).

Assim, a medida frustra não somente os atletas, mas também clubes que dependiam do Profut, como o Cruzeiro. O Programa auxiliava o clube mineiro a financiar sua dívida, que, como apurado pelo GE, soma R$303 milhões. 

A justificativa do governo é que o Programa viola a Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020. Outros clubes além do Cruzeiro estão preocupados com a situação, como o Sport, o Náutico e o Santa Cruz.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247