Jovem negra da periferia de Guarulhos, filha de empregada doméstica, Rebeca conquista o mundo (vídeos)

Dona da primeira medalha olímpica da ginástica brasileira, Rebeca Andrade, 22 anos, veio de uma família humilde de Guarulhos (SP). Dificuldades financeiras, distância dos familiares e três cirurgias no joelho fizeram a esportista pensar em desistir da carreira. A superação ficou acima das incertezas e a jovem negra da periferia ganhou o mundo nas Olimpíadas de Tóquio

Rebeca Andrade
Rebeca Andrade (Foto: Ricardo Bufolin/ Panamerica Press/ CBG)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Dona da primeira medalha olímpica da ginástica feminina brasileira, Rebeca Andrade, que ganhou prata nesta quinta-feira (29) em Tóquio, veio de uma família humilde da periferia de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. Ela é filha de Dona Rosa, que sustentava os oito filhos com um emprego doméstico, de acordo com o Globo Esporte

Por incentivo de uma tia, Rebeca entrou na ginástica aos quatro anos de idade, em um projeto da Secretaria de Esportes de Guarulhos, no ginásio Bonifácio Cardoso, na Vila Tijuco. O irmão mais velho a levava. Mas Dona Rosa não conseguia garantir que Rebeca fosse aos treinos e, por consequência, a técnica Keli Kitaura propôs à família ficar com a menina em casa nos fins de semana, para não desperdiçar o potencial da jovem.

Aos 9 anos, Rebeca recebeu outro convite da treinadora, o de deixar de vez o lar de sua família para acompanhá-la em Curitiba (PR), um importante centro da ginástica artística brasileira.

PUBLICIDADE

"Era muito difícil. Minha mãe não tinha dinheiro e eu faltava mais aos treinos do que ia", contou Rebeca ao Globo Esporte quando era uma ginasta juvenil. "Ela ficava cansada de ir a pé e voltar do trabalho quando me dava o dinheiro para a passagem. Meu irmão então comprou uma bicicleta e me levava, mas às vezes ela quebrava. Ela pedia dinheiro emprestado para que não faltasse comida. E como não sobrava, não podíamos comprar outras coisas. Roupa eu ganhava das pessoas que me conheciam e doavam", acrescentou. 

A jovem ligava chorando para a mãe pedindo para voltar para casa, pois não conseguia fazer os difíceis movimentos que os técnicos pediam. Depois foi contratada pelo Flamengo e se mudou para o Rio de Janeiro junto com Keli.

Olimpíadas

A esportista conseguiu disputar a Rio 2016, mas não tentou vaga na final do salto. Acabou o torneio na nona posição. 

PUBLICIDADE

A atleta foi tentar a vaga olímpica de Tóquio no Campeonato Pan-Americano de Ginástica Artística no Rio. Foi campeã do individual geral e garantiu a vaga nos Jogos Olímpicos do Japão.


PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email