Maradona é sedado por médicos para controlar sintomas de abstinência

O ex-jogador argentino queria ir embora do hospital, mas os médicos disseram não

Diego Maradona
Diego Maradona (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O grande jogador do futebol argentino Diego Maradona foi sedado por médicos para ajudá-lo a lidar com sintomas de abstinência e permanecerá no hospital, embora queira ir embora, disse seu médico pessoal nesta sexta-feira.

“Ele quer ir embora, mas vai ficar”, disse Leopoldo Luque a repórteres em um breve pronunciamento fora da clínica em Buenos Aires em que Maradona está sendo tratado.

“Esta foi uma das poucas vezes em que Diego ouviu um não.”

Luque afirmou que o ex-jogador do Barcelona, Napoli e Boca Juniors está sendo mantido na clínica após sofrer alguns “episódios de confusão” devido a abstinência forçada.

Luque não disse do que Maradona estava se abstendo, mas o argentino já travou batalhas popularmente conhecidas contra a bebida e o vício em drogas.

O ex-jogador, de 60 anos, foi levado ao hospital na terça-feira e passou por uma cirurgia de emergência para um hematoma subdural, um coágulo de sangue no cérebro.

Luque afirmou que Maradona foi “sedado para ajudar a facilitar o processo” de abstinência.

“Diego é muito difícil, muito difícil”, acrescentou. “Vocês não conseguem imaginar. Estamos tentando ser mais fortes do que ele.”

Maradona, que venceu a Copa do Mundo com a Argentina em 1986 e é considerado um dos maiores jogadores de todos os tempos, sofreu internações frequentes ao longo dos anos, muitas vezes devido ao seu estilo de vida extravagante.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247