MPF questiona CBV por não punir jogadores que fizeram apologia a Bolsonaro e multar Carol Solberg

MPF questionou a Liga Brasileira de Vôlei, que deixou passar o episódio dos jogadores Wallace e Maurício Souza, que fizeram o número 17 com as mãos após uma partida da seleção, mas querem punir a jogadora Carol Solberg pelo “Fora Bolsonaro”

Carol Solberg
Carol Solberg (Foto: CBV)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ), questionou a Liga Brasileira de Vôlei (CBV), que deixou passar o episódio dos que fizeram o número 17 com as mãos após uma partida da seleção, em uma clara apologia a Jair Bolsonaro, mas querem multar a jogadora  Carol Solberg em até 100 mil reais pelo “Fora Bolsonaro”, gesto político que ela protagonizou após uma partida de vôlei. 

Segundo reportagem do portal UOL, no despacho, assinado pelo procurador Leandro Mitidieri — o mesmo que comandou o grupo de trabalho da Rio-2016 —, o MPF lembra que, há dois anos, não houve punição quando os jogadores Wallace e Maurício Souza fizeram o número 17 com as mãos após uma partida da seleção de vôlei no Mundial, ainda na quadra. Este era o número do então candidato Jair Bolsonaro, que os dois publicamente apoiavam. A foto foi publicada pela CBV nas redes sociais e os dois nunca foram sequer denunciados.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247