Mulheres e lideranças feministas reagem ao machismo perverso de Robinho, após sua entrevista desastrosa

“Homens como você serão cada vez mais expostos e pagarão por seus crimes”, disse Zélia Duncan. A deputada Maria do Rosário (PT-RS) afirmou que o pensamento de Robinho é a base de toda violência de gênero

(Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A entrevista em que o jogador Robinho, condenado por estupro e dispensado pelo Santos, disse que "infelizmente existe esse movimento feminista" e que "muitas mulheres nem são mulheres", provocou reações imediatas de lideranças feministas, que expuseram o machismo perverso do atleta. “Felizmente existe esse movimento contra o estupro coletivo”, disse a candidata Manuela D'Ávila, que lidera as pesquisas em Porto Alegre. “Homens como você serão cada vez mais expostos e pagarão por seus crimes”, afirmou a cantora Zélia Duncan.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também criticou o jogador. "Mostrar ódio e desprezo para com as mulheres é sua melhor defesa? Essas ideias são a base de toda cultura e violência de gênero", pontuou. "Ler os diálogos de Robinho no processo judicial é como olhar pelo buraco da fechadura para a masculinidade perversa. Homens entre si exercitando a pedagogia da violência contra as mulheres", afirmou a professora Débora Diniz.

Confira um dos trechos de sua entrevista:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247