“O direito de sonhar é tirado da periferia”, diz Tchê Tchê

Depoimento do jogador foi ação do São Paulo no Dia da Consciência Negra; jogador lembra ainda que é difícil ver médicos negros em hospitais de elite

Danilo Neves, o Tchê Tchê
Danilo Neves, o Tchê Tchê (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Em um vídeo postado pelo São Paulo em suas redes sociais como ação no Dia da Consciência Negra, nesta sexta-feira (20), o meia Tchê Tchê afirma: “O direito de sonhar é tirado muitas vezes da periferia”.

Na publicação, o atleta faz um depoimento sobre o que passou e o que vê seus antigos vizinhos viverem. “Eu volto onde nasci, na minha quebrada e as pessoas não têm a condição de [pensar]: ‘Caramba, eu posso lutar e eu posso sair daqui’”.

Para ele, é “difícil você sonhar quando você vê seu pai trabalhando todo dia e mal dá para pagar as contas”. No entanto, Tchê Tchê ressalta que não é que as pessoas na periferia não sonhem. “É a realidade que a gente vive lá. Eu falo porque eu vivi isso”.

Leia mais na Fórum.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247