STJD alivia pena ao Brusque, que negou racismo contra Celsinho: "chamar de macaco não é de extrema gravidade"

Com a decisão, o Brusque soma 44 pontos, ficando, portanto, muito perto da permanência na série B

Celsinho, meia do Londrina
Celsinho, meia do Londrina (Foto: Gustavo Oliveira/LEC)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O plenário do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu nesta quinta-feira (18) aliviar a pena do Brusque e devolver seus três pontos que haviam sido perdidos na tabela de classificação da série B após o caso de injúria racial cometido pelo até então presidente do Conselho Deliberativo do clube, Júlio Antonio Petermann, contra o jogador Celsinho, do Londrina. Na partida em questão, o árbitro Fábio Augusto Santos Sá Junior registrou na súmula que um integrante do staff do Brusque falou: "vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha".

Com a decisão, os catarinenses somam 44 pontos, ficando, portanto, muito perto da permanência na segunda divisão.

O relator do caso, Maurício Neves Fonseca, que defendia a permanência da perda dos três pontos do time, foi vencido pelos outros auditores, que definiram que o Brusque seria punido apenas com multa e suspensão do dirigente, mas sem a perda de pontos na tabela.

PUBLICIDADE

A decisão causou revolta nas redes sociais, principalmente por causa dos argumentos utilizados pela defesa do Brusque: "o cabelo dos funcionários do Brusque parecem com o do Celsinho e eles não acham que é racismo"; "racismo sempre existiu"; "chamar de macaco não é de extrema gravidade"; "se chamarem o cabelo do David Luiz de ninho de abelha é racismo?".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email