A Copa de 2014 será mesmo nossa?

Obras em marcha lenta e escndalos de corrupo na CBF e na Fifa podem ameaar o Mundial no Brasil; BBC exibe programa com novas denncias contra Ricardo Teixeira ainda hoje

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Marcio Kroehn_247 – Há uma nuvem negra pairando sobre a Copa do Mundo de 2014. Nesta semana, a revista Veja afirma que os estádios só ficarão prontos em 2038 se a velocidade da execução das obras continuar no ritmo atual. E a rede britânica de tevê BBC vai exibir hoje, segunda-feira 23, às 16h30 (horário de Brasília) um programa que explica novos casos de suborno envolvendo o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. Estima-se que a Fifa e a CBF tenham protagonizado um esquema de distribuição de propinas que somou mais de US$ 100 milhões (leia mais) nos últimos anos.

A denúncia confirma a apuração feita pela CPI do Futebol, no final dos anos 1990, que revelava o envolvimento de dirigentes da América do Sul, entre eles Teixeira e seu ex-sogro João Havelange, com a empresa de marketing ISL, que anos mais tarde foi à falência. A CPI não conseguiu punir ninguém, mas, agora, as revelações da BBC mostram que as propinas teriam, inclusive, envolvido clubes tradicionais como o Grêmio e o Flamengo. De acordo com a BBC, o caso só não foi adiante por um acordo entre Teixeira e um tribunal suíço, que conseguiu barrar a continuidade do processo.

De todo modo, a vida do dirigente brasileiro deve ficar cada vez mais difícil nos próximos dias. Sua imagem na Suíça está fortemente abalada. Além disso, o ex-presidente da federação britânica, David Triesman, acusou Teixeira de pedir dinheiro para votar a favor da Inglaterra na disputa para sediar o Mundial de 2018 – Teixeira votou a favor da Rússia, que levou o direito, por supostamente não ter recebido a propina inglesa. Para completar o quadro, a eleição do novo presidente da Fifa, que será disputada no início do segundo semestre, coloca mais lenha na fogueira. Tanto o suíço Joseph Blatter como o catariano Mohamed bin Hammam prometem tolerância zero contra casos de corrupção. A busca é pela urgente limpeza da imagem da Fifa. E o Brasil pode ser o primeiro a passar pela faxina.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email