‘A crise é nacional e o TO também participa dela’

O novo secretário de Articulação Política do Tocantins, João Emídio de Miranda (PMDB) afirmar que sua função dentro do governo nada tem a ver om as eleições do próximo ano; "O desafio é garantir a governabilidade"; titular da pasta avaliou que a crise que o Estado enfrenta é nacional; "O Tocantins faz parte do Brasil e faz parte da crise. A crise é financeira, institucional, política e é de interesse de alguns grupos. Ela é nacional e também participamos dela", disse

O novo secretário de Articulação Política do Tocantins, João Emídio de Miranda (PMDB) afirmar que sua função dentro do governo nada tem a ver om as eleições do próximo ano; "O desafio é garantir a governabilidade"; titular da pasta avaliou que a crise que o Estado enfrenta é nacional; "O Tocantins faz parte do Brasil e faz parte da crise. A crise é financeira, institucional, política e é de interesse de alguns grupos. Ela é nacional e também participamos dela", disse
O novo secretário de Articulação Política do Tocantins, João Emídio de Miranda (PMDB) afirmar que sua função dentro do governo nada tem a ver om as eleições do próximo ano; "O desafio é garantir a governabilidade"; titular da pasta avaliou que a crise que o Estado enfrenta é nacional; "O Tocantins faz parte do Brasil e faz parte da crise. A crise é financeira, institucional, política e é de interesse de alguns grupos. Ela é nacional e também participamos dela", disse (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - O novo secretário de Articulação Política do Tocantins, João Emídio de Miranda (PMDB) afirmar que sua função dentro do governo nada tem a ver om as eleições do próximo ano. "O desafio é garantir a governabilidade”. “O governo precisa ter sustentação política permanente, não pensar só na época de eleição", assegura.

O titular da pasta avaliou que a crise que o Estado enfrenta é nacional. "O Tocantins faz parte do Brasil e faz parte da crise. A crise é financeira, institucional, política e é de interesse de alguns grupos. Ela é nacional e também participamos dela", disse. "Se todo mundo, se o governo for cruzar os braços em um momento de crise, o Estado vai à falência, cada dia mais vai à falência", acrescentou.

De acordo com o secretário, "grande parte da crise financeira tem passado". "Então é hora de a gente reagir, e de todos que fazem parte da equipe do governo de dar a sua contribuição", afirmou. A entrevista foi concedida ao Cleber Toledo.

Emídio disse que a "boa relação" com os agentes políticos poderá "facilitar o trabalho". O secretário citou, por exemplo, o bom número de deputados que compareceram em sua posse, minimizando o que talvez seja um dos principais gargalos do governador Marcelo Miranda: a relação com o Legislativo. "Acho que a Assembleia sinalizou que o governo pode ter uma base forte", acrescentou,

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247