"A população não vê alternativa na oposição"

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) afirmou que, apesar da queda da popularidade registrada pela presidente Dilma Rousseff (PT) nas últimas pesquisas, a oposição não consegue crescer porque também sofre rejeição por parte da sociedade; nos últimos dados divulgados do Vox Populi, Dilma registrou uma avaliação positiva de 32% do eleitorado, contra 28% de desaprovação; “A presidente vem caindo bastante. No Paraná, por exemplo, ela tem 53% de rejeição. A população está insatisfeita com o Governo”, analisou Dias; “Entretanto, há também uma insatisfação da sociedade com a oposição. A população não vê nenhuma alternativa entusiasta na oposição”, afirmou

CMA - pauta: entre os projetos em análise na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), o que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e outras medi
CMA - pauta: entre os projetos em análise na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), o que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e outras medi (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) afirmou que, apesar da queda da popularidade registrada pela presidente Dilma Rousseff (PT) nas últimas pesquisas, a oposição não consegue crescer porque também sofre rejeição por parte da sociedade. Nos últimos dados divulgados pelo Vox Populi, Dilma registrou uma avaliação positiva de 32% do eleitorado, contra uma análise negativa de 28%.

“A presidente vem caindo bastante. No Paraná, por exemplo, ela tem 53% de rejeição. A população está insatisfeita com o Governo”, analisou Dias, nesta quinta-feira (17), em entrevista para a Rádio Folha. “Entretanto, há também uma insatisfação da sociedade com a oposição. A população não vê nenhuma alternativa entusiasta na oposição”, afirmou o correligionário do também senador e pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves (MG).

Para o parlamentar, o modelo com o qual os candidatos de oposição são escolhidos é um dos motivos para a insatisfação da sociedade. “Nós não estamos atuando a ponto de obter a confiança da sociedade. Esse modelo de escolha dos candidatos, que não consultam a população pode ser um indicativo. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem as eleições primárias, onde os eleitores escolhem quem serão os candidatos à presidência”, relatou.

Além de Aécio, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também deve disputar as eleições, em uma chapa composta com a ex-ministra Marina Silva (PSB). A presidente Dilma Rousseff (PT) será candidata à reeleição.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247