ACM, que apoiou o golpe, diz que candidatura Maia ‘não será de governo’

Novo presidente de uma das principais legendas que apoiaram o golpe de 2016, o DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto disse que a candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ao Palácio do Planalto não será uma "candidatura de governo"; ACM sinaliza que a parceria com Michel Temer acaba este ano e tenta amenizar posições conservadoras; "Um governo do DEM jamais acabaria com o Bolsa Família"; aliados veem com ceticismo a postulação do parlamentar, mas o prefeito crava: "Não temos nada a perder"

Novo presidente de uma das principais legendas que apoiaram o golpe de 2016, o DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto disse que a candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ao Palácio do Planalto não será uma "candidatura de governo"; ACM sinaliza que a parceria com Michel Temer acaba este ano e tenta amenizar posições conservadoras; "Um governo do DEM jamais acabaria com o Bolsa Família"; aliados veem com ceticismo a postulação do parlamentar, mas o prefeito crava: "Não temos nada a perder"
Novo presidente de uma das principais legendas que apoiaram o golpe de 2016, o DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto disse que a candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ao Palácio do Planalto não será uma "candidatura de governo"; ACM sinaliza que a parceria com Michel Temer acaba este ano e tenta amenizar posições conservadoras; "Um governo do DEM jamais acabaria com o Bolsa Família"; aliados veem com ceticismo a postulação do parlamentar, mas o prefeito crava: "Não temos nada a perder" (Foto: Leonardo Lucena)

Bahia 247 - O novo presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou que a candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), ao Palácio do Planalto não será uma "candidatura de governo". Aliados veem com ceticismo a postulação do parlamentar, mas a sigla pretende manter seu nome na disputa pelo menos até junho. "Não temos nada a perder", declara.

ACM sinaliza que a parceria com Michel Temer acaba este ano e tenta amenizar posições conservadoras e fazer acenos a programas sociais. "Um governo do DEM jamais acabaria com o Bolsa Família", acrescentou. A entrevista foi concedida à Folha de S. Paulo.

Em janeiro, Maia disse que o Bolsa Família escraviza as pessoas. Ao comentar sobre o que o partido pensa acerca do programa, o prefeito disse que a sigla é favorável. "Em Salvador, nós ampliamos o cadastro. Os programas sociais precisam ser repensados, mas temos que reconhecer a miséria em que vive uma parcela importante da população. Um governo do DEM jamais acabaria com o Bolsa Família. Por que o DEM é considerado um partido conservador? Por preconceito de um certo segmento que não conhece ou não quer enxergar a ação prática do partido. Não visto essa carapuça e não aceito esse rótulo. Ele deriva de um preconceito que remonta a décadas, quando o PFL foi constituído, mas que desconsidera uma transição geracional".

Segundo o prefeito, "quando a crise se impôs, Rodrigo cresceu como presidente da Câmara. As melhoras nos indicadores do país derivam do apoio do Congresso à agenda econômica. Nosso compromisso jamais foi firmado com o governo".

Questionado se Maia tem viabilidade eleitoral, ACM disse que, "para ser competitivo, a base de largada é ter suporte político-partidário, algo que ele vem construindo com competência. As eleições ficaram mais curtas". "As convenções podem acontecer até agosto, então o prazo de analisar a viabilidade real de uma candidatura é próximo desse período. Não imagino nada anterior a fim de junho. Não vamos brincar de fazer política ou de ter candidato a presidente", complementou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247