ACM volta a se queixar de falta de repasse da União

Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano"

Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano"
Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, que passa a se chamar Multicentro de Saúde Bezerra Lopes, o prefeito ACM Neto (DEM) voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas". O democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País.

"A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano. Este ano, vamos chegar a aplicar 19% do orçamento municipal na saúde. Ou seja, R$ 140 milhões a mais do que o exigido por lei para conseguir pagar pela manutenção da rede", disse ACM Neto.

Segundo o prefeito, cada multicentro tem custo mensal de R$ 700 mil em manutenção. Ele prometeu entregar ainda neste ano a unidade da Avenida Carlos Gomes, no Centro.

O prefeito disse ainda que "Salvador por muito tempo sofreu com a falta de investimentos na área da saúde, chegando a ter apenas 18% da de cobertura de atenção básica na cidade. Em quatro anos, o número chegará a quase 50% de cobertura, com cerca de 130 unidades de saúde construídas ou recuperadas e contratados mais de 3,5 mil profissionais. Além disso, de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que funcionava de forma precária, a capital baiana chegará até o fim deste ano com nove UPAs em pleno funcionamento, sendo as próximas a serem entregues em Brotas, Paripe e Pirajá".

ACM disse também que vai dar início neste primeiro semestre à construção do primeiro Hospital Municipal de Salvador, na Boca da Mata, região de Cajazeiras.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247