ACM volta a se queixar de falta de repasse da União

Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano"

Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano"
Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, nesta terça-feira, o prefeito ACM Neto voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas"; o democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País; "A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Na cerimônia de reinauguração do antigo 3º Centro de Saúde Professor Bezerra Lopes, na Liberdade, que passa a se chamar Multicentro de Saúde Bezerra Lopes, o prefeito ACM Neto (DEM) voltou a contradizer seu discurso da campanha de 2012, quando ele dizia que "Salvador pode andar com suas próprias pernas". O democrata voltou a reclamar de falta de repasses do governo federal e lamentou as dificuldades que tem encontrado para governar a terceira maior capital do País.

"A maior necessidade da população é na área da saúde pública. Somente em repasses de recursos federais, estamos com déficit de R$ 80 milhões por ano. Este ano, vamos chegar a aplicar 19% do orçamento municipal na saúde. Ou seja, R$ 140 milhões a mais do que o exigido por lei para conseguir pagar pela manutenção da rede", disse ACM Neto.

Segundo o prefeito, cada multicentro tem custo mensal de R$ 700 mil em manutenção. Ele prometeu entregar ainda neste ano a unidade da Avenida Carlos Gomes, no Centro.

O prefeito disse ainda que "Salvador por muito tempo sofreu com a falta de investimentos na área da saúde, chegando a ter apenas 18% da de cobertura de atenção básica na cidade. Em quatro anos, o número chegará a quase 50% de cobertura, com cerca de 130 unidades de saúde construídas ou recuperadas e contratados mais de 3,5 mil profissionais. Além disso, de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que funcionava de forma precária, a capital baiana chegará até o fim deste ano com nove UPAs em pleno funcionamento, sendo as próximas a serem entregues em Brotas, Paripe e Pirajá".

ACM disse também que vai dar início neste primeiro semestre à construção do primeiro Hospital Municipal de Salvador, na Boca da Mata, região de Cajazeiras.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247