Acne em adultos. Ela não ataca apenas os adolescentes

Os hormônios, mas também o estresse, bem como certos medicamentos ou cremes dermatológicos excessivamente gordurosos podem desencadear erupções de acne em pessoas adultas.

Acne em adultos. Ela não ataca apenas os adolescentes
Acne em adultos. Ela não ataca apenas os adolescentes

 

 

Por Anne Lefèvre-Balleydier – Le Figaro

 

Espinhas não são unicamente uma questão de idade. É verdade que a acne é muito mais frequente nos adolescentes. Mas como afirma a professora Brigitte Dréno, dermatologista no CHU de Nantes: a acne dos adultos, e notadamente da mulher, representa hoje 20% dos casos. Isso se explica pela complexidade dessa patologia, que combina diversas causas: os hormônios, com certeza, mas também a hereditariedade e também o estresse. Os hormônios sexuais, particularmente os hormônios andrógenos, evidentemente desempenham um papel importante. Por essa razão, a acne irrompe com toda a força no momento da adolescência, quando esses hormônios começam a ser produzidos pelos testículos , os ovários ou as glândulas suprarrenais (situadas logo acima de ambos os rins). Estimulando o desenvolvimento dos atributos sexuais, seus efeitos são os de favorecer o surgimento de pelos e a produção de sebum, essa películas oleosa que protege nossa pele contra o ressecamento. Em certas condições, essa hipersecreção pode se acumular no interior dos poros através dos quais, normalmente, escorre o sebum. Isso acontece sobretudo quando existe uma proliferação excessiva de células superficiais da pele que produzem a queratina. Quando elas são mal eliminadas, devido a causas que ainda são desconhecidas, elas acabam por entupir os poros.

As repercussões psicológicas

Na superfície, o sebum e as células mortas que ele contem podem se oxidar e formar pontos negros – os assim chamados cravos. Ou então as células da epiderme os recobrem, num processo que cria grande quantidade de pontos brancos em relevo sobre a pele. Tanto num caso quanto no outro, o acúmulo de sebum favorece a proliferação de um hóspede habitual das glândulas sebáceas: um micróbio chamado Propionibacterium acnes. O sistema de defesa do organismo reage, e essa reação significa uma inflamação do folículo piloso: de inícvio um botão inflamado, depois uma pústula, da qual pode escorrer um líquido purulento, e enfim, no estágio mais avançado, um nódulo quando a infecção progride nas camadas mais profundas da pele, em direção à derme e à hipoderme.

Tais nódulos, infelizmente, costumam estar bem presentes quando a acne se instala na mulher adulta, atingindo então, mais particularmente, a parte baixa do rosto. Pode ser que se trate de um problema hormonal, provocado por uma taxa excessiva de andrógenos, mas com maior frequência não se trata disso. Embora nenhum estudo tenha comprovado isso de forma definitiva, suspeita-se que o efeito do estresse, através das numerosas células nervosas localizadas perto das glândulas sebáceas  e capazes de estimular a produção de sebum. Medicamentos ou cremes de beleza demasiado oleosos podem também desencadear as erupções de acne.

Sabemos também que a causa pode ser hereditária. De qualquer modo, não importa qual seja a sua origem, esse problema deve ser levado a sério. Não apenas ele acarreta importantes repercussões psicológicas, mas quando a inflamação da pele é profunda, ela pode igualmente levar à formação de cicatrizes. Por fim, em casos mais raros, essa doença pode se estender também ao torso, aos ombros e às nádegas, ou ainda provocar ataques de febre e dores nas articulações. Quando sofremos de acne, é melhor evitar a automedicação e consultar e seguir as indicações de um dermatologista especializado.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247