Acusações a CR7 não apagam êxitos esportivos, diz presidente de Portugal

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, falou sobre as acusações contra o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, de abuso sexual, e preferiu focar apenas no desempenho profissional do atacante de Juventus; "Eu não mudo de ideia sobre o papel esportivo e nacional que, alguém que hoje está envolvido em assuntos de justiça, teve na vida do nosso País", disse

Acusações a CR7 não apagam êxitos esportivos, diz presidente de Portugal
Acusações a CR7 não apagam êxitos esportivos, diz presidente de Portugal (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência EFE - O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, falou nesta sexta-feira sobre as acusações contra o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, de abuso sexual, e preferiu focar apenas no desempenho profissional do atacante de Juventus.

"Eu não mudo de ideia sobre o papel esportivo e nacional que, alguém que hoje está envolvido em assuntos de justiça, teve na vida do nosso país. Isso existe, é e uma realidade", afirmou o chefe de Estado, em entrevista coletiva concedida durante um dos atos da celebração do Dia da Instauração da República.

Rebelo de Sousa pediu para que todos aguardem o desenrolar das investigações, para que, se cheguem a conclusões apenas ao término do processo.

Cristiano Ronaldo foi acusado pela modelo americana Kathryn Mayorga de tê-la estuprado em Las Vegas, em julho de 2009, pouco depois do jogador trocar o Manchester United pelo Real Madrid, após uma noite em uma boate. O atacante nega todas as acusações.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247