Adidas retira do mercado camisetas com apelo sexual

"A Adidas sempre acompanha de perto a opinião de seus consumidores e parceiros e, por isso, anuncia que os produtos em questão não mais serão comercializados pela marca", informou a empresa, que é patrocinadora da Copa, em comunicado; camisetas que traziam coração em formato de bumbum e mulher de biquíni foram mal recebidas pelo governo brasileiro

"A Adidas sempre acompanha de perto a opinião de seus consumidores e parceiros e, por isso, anuncia que os produtos em questão não mais serão comercializados pela marca", informou a empresa, que é patrocinadora da Copa, em comunicado; camisetas que traziam coração em formato de bumbum e mulher de biquíni foram mal recebidas pelo governo brasileiro
"A Adidas sempre acompanha de perto a opinião de seus consumidores e parceiros e, por isso, anuncia que os produtos em questão não mais serão comercializados pela marca", informou a empresa, que é patrocinadora da Copa, em comunicado; camisetas que traziam coração em formato de bumbum e mulher de biquíni foram mal recebidas pelo governo brasileiro (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

RIO DE JANEIRO, Fev (Reuters) - As camisetas lançadas pela Adidas para a Copa do Mundo com desenhos de um coração em formato de bumbum e uma mulher de biquíni foram mal recebidas pelo governo brasileiro, o que levou a empresa patrocinadora do Mundial a retirar os produtos do mercado nesta terça-feira, após reclamação do Brasil alegando apelo sexual.

"A Adidas sempre acompanha de perto a opinião de seus consumidores e parceiros e, por isso, anuncia que os produtos em questão não mais serão comercializados pela marca", informou a Adidas em comunicado, acrescentando que as camisetas seriam vendidas apenas nos Estados Unidos.

O governo havia solicitado à Adidas a retirada dos produtos do mercado.

O presidente da Embratur, Flávio Dino, afirmou que as camisetas não retratam a realidade do país e que a campanha da empresa "ignora e desrespeita" a linha de comunicação que o governo adota para a promoção turística do Brasil no exterior.

"Isso atrapalha a organização do Mundial. O problema é a apropriação disso e deturpação do que pode ser a Copa. Já comunicamos nossas agências espalhadas por 15 países para que façam a divulgação de que não aceitaremos isso", afirmou Dino em nota publicado no site da Embratur.

O governo está preocupado com o chamado "turismo sexual" durante a Copa do Mundo deste ano, evento que deve atrair até 600.000 estrangeiros ao país durante os meses de junho e julho.

Em mensagem divulgada via Twitter também nesta terça, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o governo aumentará os esforços na prevenção da exploração sexual na Copa.

"O Brasil está feliz em receber turistas que chegarão para a Copa, mas também está pronto para combater o turismo sexual", afirmou Dilma.

As duas camisetas da Adidas que provocaram a indignação do governo brasileiro seriam parte de uma edição limitada à venda só nos EUA. Numa delas, há uma caricatura de uma morena de biquíni em frente ao Pão de Açúcar, com a frase "Lookin' to Score" (que significa no futebol "tentando marcar", mas que também tem conotação sexual). Na outra, um coração tem o formato de um bumbum com um biquíni em uma declaração de amor ao Brasil.

A Adidas é a fornecedora oficial de material esportivo da Copa do Mundo e fabricante, por exemplo, da bola do Mundial.

(Por Pedro Fonseca)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email