Aécio: Guerra era “idealista e destemido”

Presidenciável do PSDB manifesta pesar pela morte de antecessor na presidência do partido; "perde a política brasileira e perco eu dos mais queridos amigos", disse senador; candidatura dele à Presidência teve em Sergio Guerra seu primeiro articulador nacional; deputado lutava contra um câncer; Aécio Neves e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, confirmaram que irão ao velório do deputado, nesta sexta-feira, no Recife

O governador Aécio Neves participa das comemorações do Dia Nacional dos Bombeiros. A solenidade é realizada com a entrega da Medalha Imperador Dom Pedro II, entregue a personalidades civis e militares que contribuíram e se dedicaram ao bom desempenho da c
O governador Aécio Neves participa das comemorações do Dia Nacional dos Bombeiros. A solenidade é realizada com a entrega da Medalha Imperador Dom Pedro II, entregue a personalidades civis e militares que contribuíram e se dedicaram ao bom desempenho da c (Foto: Marco Damiani)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidenciável Aécio Neves lamentou a morte do primeiro grande articular nacional de sua candidatura à Presidência da República, o ex-presidente tucano Sergio Guerra. "Ele tinha qualidades raras entre os homens públicos de hoje", declarou Aécio. Guerra foi o antecessor do senador mineiro na presidência do PSDB. Aécio e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, confirmaram que irão ao velório do deputado, nesta sexta-feira. Para Alckmin, o deputado pernambucano “era um homem do diálogo, agregador, conversava com todas as correntes e partidos. Vai fazer muita falta neste momento que o Brasil vive".

Em Pernambuco, governo decretou luto oficial de três dias. Sepultamento será amanhã, em Recife.

Abaixo, declaração de Aécio Neves distribuída pelo PSDB:

A Social Democracia Brasileira perdeu, hoje, um de seus mais valorosos e aguerridos líderes – o ex-presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra. 

Como parlamentar, deputado, senador, secretário de Estado e dirigente partidário, foram mais de 30 anos de vida pública inatacável e intensa militância, servindo às grandes causas do País.

Do ponto de vista partidário, Guerra foi o grande timoneiro do processo de renovação do PSDB, que iniciou à frente da Executiva Nacional. Investiu na estruturação de novos canais de comunicação e no imprescindível diálogo do partido com a sociedade, representada pelos jovens, mulheres, minorias e sindicalistas, bases que, para ele, eram fundamentais à representação política. 

O homem público idealista e destemido na defesa das suas convicções era também um conciliador nato, e foi nesta posição que contribuiu, com rara sensibilidade, legitimidade e respeito às diferenças, ao processo de convergência das oposições em torno da construção de um novo projeto para o país. 

Nas nossas inúmeras reuniões programáticas, anoto a sua incomparável defesa dos mais pobres e do enfrentamento daquele que entendia como o grande desafio nacional – a superação da desigualdade brasileira, que especialmente penaliza o futuro do povo do Nordeste, a quem ele dedicou a sua vida.  

Lamento, profundamente, a perda do conselheiro sereno e do interlocutor seguro. E do amigo querido, solidário e leal, de todas as horas. 

Sérgio Guerra nos deixa um substantivo e admirável legado: ele será sempre um exemplo de que é possível fazer política com ética, decência e compromisso com a transformação do Brasil.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email