Aecio: liminar de Gilmar é vitória dos brasileiros

Citado por delatores da Operação Lava Jato, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), comentaram em suas páginas no Facebook a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes de suspender a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como ministro-chefe da Casa Civil; "Lula deixa de ter o foro privilegiado e volta a ser investigado pelo juiz Sergio Moro", reforçou o tucano, remetendo informe do PSDB, que divulga a informação no Facebook sob o título mais uma vitória dos brasileiros

26/11/2015 - Brasília - DF - O senador Aécio Neves, durante reunião da Executiva Nacional do PSDB. Foto: George Gianni/ PSDB
26/11/2015 - Brasília - DF - O senador Aécio Neves, durante reunião da Executiva Nacional do PSDB. Foto: George Gianni/ PSDB (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - O PSDB e o presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG), comentaram em suas páginas no Facebook a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes de suspender a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como ministro-chefe da Casa Civil.

Mendes determinou na noite dessa sexta-feira (18) que as investigações sobre o ex-presidente relativas à Operação Lava-Jato sejam retomadas pelo juiz federal Sérgio Moro. A decisão acatou duas ações, uma do PSDB e outra do PPS.

"O STF decidiu suspender a nomeação do ex-presidente Lula para o cargo de ministro da Casa Civil. A decisão foi tomada pelo ministro Gilmar Mendes, que acatou duas ações, uma do PSDB e outra do PPS. Com isso, Lula deixa de ter o foro privilegiado e volta a ser investigado pelo juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato", apontou Aécio em sua página, remetendo informe do PSDB, que divulga a informação no Facebook sob o título mais uma vitória dos brasileiros.

Delatores citam Aécio

Apesar de ser favorável ao impeachment da presidente Dilma, Aécio Neves foi é citado por delatores da Operação Lava Jato, como alguém que recebeu propina. Em uma das citações o doleiro Alberto Youssef aponta Aécio como o mentor intelectual de um mensalão em Furnas, que distribuía mesadas de US$ 100 mil a parlamentares – entre eles, o finado José Janene, que foi sócio de Youssef. 

Em outra delação o lobista Fernando Moura afirma que um terço da propina em Furnas era destinada ao líder da oposição. O entregador de propinas "Ceará" diz que Aécio era "o mais chato" cobrador das entregas de recursos da empreiteira UTC (veja aqui).

Aécio também foi citado pelo senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). "Questionado ao depoente quem teria recebido valores de Furnas, o depoente disse que não sabe precisar, mas sabe que Dimas [Toledo, ex-presidente de Furnas] operacionalizava pagamentos e um dos beneficiários dos valores ilícitos sem dúvida foi Aécio Neves", diz trecho da delação. O acordo também prevê que Delcídio pague uma multa de R$ 1,5 milhão em dez parcelas (leia mais aqui).


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247