Aecistas tentam, agora, afagar José Serra

Senador Aécio Neves (PSDB/MG) estimula as candidaturas de Eduardo Campos, do PSB, e Marina Silva, da Rede, mas teme que ex-governador tucano, caso concorra à presidência, tenha muitos votos em São Paulo; braço direito de Aécio, deputado Marcus Pestana já faz a ponte: “O Serra tem história. Foi fundador, prefeito e governador, líder na Câmara e no Senado, e duas vezes candidato a presidente. Ele não tem motivo para sair do PSDB”

Aecistas tentam, agora, afagar José Serra
Aecistas tentam, agora, afagar José Serra
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - “O Serra tem história. Foi fundador, prefeito e governador, líder na Câmara e no Senado, e duas vezes candidato a presidente. Ele não tem motivo para sair do PSDB”, diz o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), um dos mais próximos colaboradores do senador Aécio Neves.

Cabe a ele, Pestana, fazer a aproximação entre o PSDB aecista e o núcleo serrista. O objetivo é impedir a saída do ex-governador paulista, que, mesmo no pequeno MD, poderia ter uma quantidade de votos surpreendente. Leia, abaixo, na coluna de Ilimar Franco, do Globo:

Efeito Serra
          Os tucanos ligados ao presidenciável Aécio Neves (MG) atuam para evitar a saída de José Serra do PSDB e sua eventual candidatura. Os aecistas querem Eduardo Campos (PSB) e Marina Silva (Rede) na corrida, visando disputar o segundo turno com a presidente Dilma. Mas querem Serra fora. Avaliam que, com Serra, o desempenho nacional de Aécio pode ser comprometido.

Divisão dos votos
Ninguém sabe o poder real de José Serra numa eleição ao Planalto, concorrendo por um pequeno partido, como o Mobilização Democrática. Mas todos reconhecem que “seu recall é elevado” e que ele pode ter condições de fazer uma votação expressiva em São Paulo. Alguns lembram que, em 1955, quando um paulista concorreu, o presidente eleito, o mineiro Juscelino Kubitschek, ficou apenas em terceiro no estado. Agora, não querem pagar para ver. Por isso, para segurar Serra, sinalizam que ele poderá coordenar a formulação do programa de governo. E apostam que o fato de os tucanos ligados a ele não o acompanharem acabará por inibi-lo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247