Afinal, o que é uma Startup?

Startup é um termo que está na moda, e empreender virou o sonho de muita gente, tanto no Brasil quanto fora dele; mas muita gente ainda não entende o que significa o termo, e o que realmente é empreender de maneira inovadora; em pesquisa rápida pela internet, alguns termos insistiram em aparecer nas definições de empreendedorismo: autonomia é um deles; esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos e se tornam empreendedores; trata-se da capacidade de assumir a responsabilidade pelas suas decisões e a independência na definição de seu sucesso; dedicação é outro

Startup é um termo que está na moda, e empreender virou o sonho de muita gente, tanto no Brasil quanto fora dele; mas muita gente ainda não entende o que significa o termo, e o que realmente é empreender de maneira inovadora; em pesquisa rápida pela internet, alguns termos insistiram em aparecer nas definições de empreendedorismo: autonomia é um deles; esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos e se tornam empreendedores; trata-se da capacidade de assumir a responsabilidade pelas suas decisões e a independência na definição de seu sucesso; dedicação é outro
Startup é um termo que está na moda, e empreender virou o sonho de muita gente, tanto no Brasil quanto fora dele; mas muita gente ainda não entende o que significa o termo, e o que realmente é empreender de maneira inovadora; em pesquisa rápida pela internet, alguns termos insistiram em aparecer nas definições de empreendedorismo: autonomia é um deles; esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos e se tornam empreendedores; trata-se da capacidade de assumir a responsabilidade pelas suas decisões e a independência na definição de seu sucesso; dedicação é outro (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Lucas Bicudo, StartSe - Startup é um termo que está na moda, e empreender virou o sonho de muita gente, tanto no Brasil quanto fora dele. Mas muita gente ainda não entende o que significa o termo, e o que realmente é empreender de maneira inovadora. Em pesquisa rápida pela internet, alguns termos insistiram em aparecer nas definições de empreendedorismo:

Autonomia é um deles. Esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos e se tornam empreendedores. Trata-se da capacidade de assumir a responsabilidade pelas suas decisões e a independência na definição de seu sucesso. Dedicação é outro. Não existe empreendedorismo sem comprometimento e determinação. Sabe aquela história de apenas 10% de inspiração de 90% de transpiração? Risco entra também nessa lista. Não existe nenhum cenário em que o empreendedor não assuma algum tipo de risco. Muitas pessoas bem-sucedidas creditam o seu aprendizado e a sua evolução à capacidade de assumir riscos, de aprender com os erros e de perseverar a cada ocasião.

A questão é: empreender, sobretudo, significa andar pelos próprios pés e rumo a um caminho desconhecido. É ser autônomo e dedicado o suficiente para assumir um risco e bancá-lo. E isso dá um medo danado, requer toda uma reestruturação de mentalidade, hábitos e costumes. Não caia na armadilha de pensar que nomes como Elon Musk ou Larry Page não sentiram isso quando se jogaram pelo mundão, porque são sensações inerentes à consciência do homem. Surge nessas horas o instinto e cabe a todos os corajosos saberem como controlar e superá-lo, em ordem de atravessar todos os seus medos e finalmente atingir o sucesso.

Por fim, um último elemento fundamental para essa definição: valor. Note que em nenhuma parte do texto foram usadas as palavras “empresa” ou “negócios”. Isso porque não diz respeito apenas sobre os negócios. É necessário ampliar o conceito de empreendedorismo para além do negócio próprio e usá-lo como uma ferramenta que gere valor para a sociedade. O valor da inovação, segundo Junior Borneli, co-fundador do StartSe, e Gustavo Caetano, CEO e fundador da SambaTech, em hangout online grátis realizado pelo StartSe, é chave-mãe para o sucesso de toda startup. O próprio Junior possui também um hangout com Samir Iasbeck, fundador do Qranio, eleito o melhor aplicativo da América Latina pelo Facebook e escolhido para ser acelerado pelo Google, em que discute como criar um projeto altamente inovador

E por falar em startup, afinal o que é uma e o que ela tem a ver com todo esse papo de empreendedorismo? A utilização do termo começou durante a crise das empresas ponto-com, entre 1996 e 2001, quando foi formada uma bolha especulativa caracterizada pela alta das ações das novas empresas de tecnologia da informação e comunicação alocadas no espaço da Internet. A Bolha da Internet, como ficou comumente conhecida, adotou e começou a utilizar o termo startup, que até então apenas significava um grupo de pessoas trabalhando por uma ideia diferente ecom potencial de fazer dinheiro. Além disso, startup, na etimologia da palavra, também sempre foi sinônimo de iniciar algo e colocá-lo em funcionamento. 

Entretanto, há bastante espaço para discussão e interpretação do significado real do que é uma startup. Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa com custos de manutenção muito baixos, mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. Há ainda quem diga que a “tia do cachorro-quente” é uma startup e uma franquia de lanches é uma empresa. Se desmembrando a palavra, como dito anteriormente, chegamos ao ato de iniciar algo, seria todo empreendimento um dia uma startup?

Há uma definição que parece sanar da melhor maneira possível essas pontas soltas e diferentes interpretações que continuam a rodar pela boca do povo: uma startup é um grupo de pessoas de perfil de empreendedor à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, normalmente apresentado em um cenário de incertezas e questões. Vejamos então essa frase com um pouco mais de cuidado e atenção.

Modelo de negócios
O que é um modelo de negócios, para começar? Trata-se da definição de como uma startup irá ser monetizada e qual será seu valor gerado. Ser repetível significa ser capaz de entregar o mesmo produto em escala potencialmente ilimitada, sem muitas customizações ou adaptações – isso pode ser feito tanto ao vender a mesma unidade do produto várias vezes, ou tendo-os sempre disponíveis independente da demanda. Ser escalável significa crescer cada vez mais, sem que isso influencie no modelo de negócios. Um cenário de incertezas e questões significa que não há como afirmar se aquela ideia ou projeto de empresa irão realmente dar certo.

É justamente por esse ambiente, recorrente até que o modelo de negócios seja bem definido, que tanto se fala em investimento para startups. Sem capital de risco, é muito difícil persistir na busca por um modelo de negócios que comece a gerar grana e se sustente. Se o empreendedor conseguir sobreviver até a comprovação de que ele existe e sua receita comece a de fato crescer, provavelmente será necessária uma nova rodada de investimentos para que essa startup se torne uma empresa sustentável. Pedro Englert, CEO do StartSe e seu sócio Eduardo Glitz, possuem um hangout riquíssimo em informações sobre como começar a investir com sucesso em startups.

Outro erro comum que permeia a definição de startups é se essas são somente empresas de internet. Não necessariamente, elas só são mais frequentes na Internet porque é bem mais barato criar uma empresa online do que uma de agronegócio, por exemplo. O espaço também torna a expansão do negócio bem mais fácil, rápida e barata – além da venda ser repetível e escalável.

Algumas das maiores empresas do mundo começaram como startups, com pouquíssimo dinheiro e muito risco. Tropeçaram, erraram, adaptaram e deram a volta por cima. O Netflix é um exemplo de startup bem sucedida. Quando foi lançado, em 1997, parecia uma ideia insana. Hoje a empresa vale bilhões, é referência no mundo inteiro e revolucionou a forma que as pessoas lidam com o entretenimento televisivo.

O Google também é outra gigante que começou no modelo de startup. O tamanho e onipresença do maior site da internet são tão inigualáveis que é difícil de imaginar que ele um dia pôde ser chamado de startup. Fechamos os exemplos com o PayPal. Uma startup deve trazer um modelo de negócios dinâmico e o empreendedor deve estar sempre sujeito à adaptações. Bem no início de sua trajetória, a empresa pretendia fornecer uma espécie de carteira digital para dispositivos portáteis. Só que os consumidores começaram a usar o serviço como forma de transferir dinheiro em negociações do eBay. Não era a ideia inicial do projeto, mas eles souberam se adaptar aos sinais da demanda. Hoje, o PayPal é a maior empresa de transferência de dinheiro na internet.

Então recapitulemos: uma startup é um grupo de pessoas de perfil de empreendedor, caracterizado pela autonomia, dedicação e risco, à procura de um modelo de negócios repetível e escalável – monetização feita através de produtos em escala quase que ilimitada e de baixo custo de manutenção -, normalmente apresentado em um cenário de incertezas e questões, que atraem e pedem por inovação.

Se o conceito grudou e você teve uma ideia, é hora então de tirar a bunda da cadeira e validá-la em um negócio real e com potencial de crescimento. O StartSe ensina, em e-book online e gratuito, como validar uma ideia e acelerar sua startup. Aceleração de startups, inclusive, é outro conceito chave para entender esse ecossistema do empreendedorismo.

A aceleração é para empreendedores que, mesmo que já possuam um faturamento relativamente considerável, tem vontade de dar o passo além e transformar suas startups em uma grande empresa, capaz de ter voz ativa em toda a economia do país. Fazem parte do programa de aceleração a estruturação de todos os processos, estratégias e materiais de seu negócio. O objetivo das aceleradoras é “profissionalizar” sua startup para que ela consiga crescer de forma estruturada e sustentável.

Pedro Waengertner, fundador da Aceleratech, maior aceleradora da América Latina, possui alguns hangouts e aulas com o co-fundador do StartSe para discutir passo a passo de como começar sua startup de forma acelerada e transformá-la em uma verdadeira máquina de vendas, digna das gigantes do mercado citadas anteriormente.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email