AL tem aumento de 55,1% nos casos de dengue

Dados levantados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelam um aumento de 55,12% de casos suspeitos de dengue em Alagoas; uma força-tarefa foi criada para dispensar atenção especial para nove municípios que enfrentam situação epidêmica

Dados levantados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelam um aumento de 55,12% de casos suspeitos de dengue em Alagoas; uma força-tarefa foi criada para dispensar atenção especial para nove municípios que enfrentam situação epidêmica
Dados levantados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelam um aumento de 55,12% de casos suspeitos de dengue em Alagoas; uma força-tarefa foi criada para dispensar atenção especial para nove municípios que enfrentam situação epidêmica (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) apontou o aumento de 55,12% de casos suspeitos de dengue em Alagoas. Segundo o trabalho, que compreende dados levantados entre 1º de janeiro e 13 de abril deste ano, foram registrados 4.683 casos - no mesmo período de 2014, foram contabilizados 3.019 casos suspeitos de dengue em todo o estado. Conforme a nota divulgada pela Sesau, nove municípios alagoanos já se encontram em estado de epidemia, quando o número de incidência ultrapassa 300 casos por 100 mil habitantes.

Ainda de acordo com o documento, uma força-tarefa foi criada com o intuito de dispensar atenção especial aos municípios de Inhapi, Junqueiro, Major Isidoro, Maravilha, Mata Grande, Ouro Branco, Santana do Ipanema, São Sebastião e Senador Rui Palmeira. Todos estão em situação epidêmica, segundo a Sesau.

A força-tarefa é composta por técnicos das diretorias de Vigilância Epidemiológica e Atenção Básica. Elas irão atuar na assistência de vigilância em saúde, combatendo o vetor e mobilizando toda a sociedade no combate ao mosquito transmissor do vírus.

E para desenvolver um trabalho mais eficaz contra a proliferação do Aedes Aegypti, as prefeituras serão convidadas a intensificar a atuação dos agentes de saúde, como também a garantir o recolhimento e destinação final do lixo urbano, além da limpeza de terrenos baldios, praças e cemitérios, com o aumento da fiscalização também em borracharias, a fim de evitar o descarte irregular de pneus - que servem como criatório do mosquito.

Com gazetaweb.com

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247