AL vota proposta que pode acabar com a greve

Reunião conjunta das comissões da Assembleia aprecia nesta quinta-feira, 2, emenda que pode por fim ao impasse da data-base entre o governo e sindicato dos servidores; elaborada após reunião na tarde desta quarta-feira, 1º, entre parlamentares e servidores, a proposta prevê a execução de uma folha complementar no mês de julho para inclusão dos retroativos referentes aos últimos meses de maio e junho, sendo 4,17% para cada mês; prevê também  a incorporação de 4,17% referente ao índice da data-base na folha de julho e ainda a incorporação do índice de 4,003% na folha de pagamento de outubro; "Acredito que agora iremos cessar essa questão da greve”, disse o governador Marcelo Miranda

Reunião conjunta das comissões da Assembleia aprecia nesta quinta-feira, 2, emenda que pode por fim ao impasse da data-base entre o governo e sindicato dos servidores; elaborada após reunião na tarde desta quarta-feira, 1º, entre parlamentares e servidores, a proposta prevê a execução de uma folha complementar no mês de julho para inclusão dos retroativos referentes aos últimos meses de maio e junho, sendo 4,17% para cada mês; prevê também  a incorporação de 4,17% referente ao índice da data-base na folha de julho e ainda a incorporação do índice de 4,003% na folha de pagamento de outubro; "Acredito que agora iremos cessar essa questão da greve”, disse o governador Marcelo Miranda
Reunião conjunta das comissões da Assembleia aprecia nesta quinta-feira, 2, emenda que pode por fim ao impasse da data-base entre o governo e sindicato dos servidores; elaborada após reunião na tarde desta quarta-feira, 1º, entre parlamentares e servidores, a proposta prevê a execução de uma folha complementar no mês de julho para inclusão dos retroativos referentes aos últimos meses de maio e junho, sendo 4,17% para cada mês; prevê também  a incorporação de 4,17% referente ao índice da data-base na folha de julho e ainda a incorporação do índice de 4,003% na folha de pagamento de outubro; "Acredito que agora iremos cessar essa questão da greve”, disse o governador Marcelo Miranda (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - Deputados estaduais apreciam nesta quinta-feira, 2, em reunião conjunta das comissões, uma nova proposta que pode por fim à greve dos servidores públicos do Quadro Geral, que já dura 16 dias. 

Após uma tarde de negociação entre parlamentares da base governistas e representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais (Sisepe), os lados flexibilizaram suas posição em prol de um acordo para o pagamento data-base.

A nova proposta prevê a execução de uma folha complementar no mês de julho para inclusão dos retroativos referentes aos últimos meses de maio e junho, sendo 4,17% para cada mês.

Prevê ainda a incorporação de 4,17% referente ao índice da data-base na folha de pagamento do próximo mês de julho. E ainda a incorporação do índice de 4,003% na folha de pagamento do mês de outubro. O Projeto de Emenda ao Projeto de Lei nº 13/2015, encaminhado pelo governo sobre a data-base, é assinado pelos deputados Ricardo Ayres (PSB), Amélio Cayres (SD), Eli Borges (Pros), José Roberto (PT) e Amália Santana (PT). 

A matéria recebeu o aval do governador Marcelo Miranda (PMDB), que ressaltou que o governo sempre esteve aberto ao diálogo com as categorias em greve. "Acredito que agora iremos cessar essa questão da greve”, disse Marcelo ao Jornal do Tocantins.

O presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro, também considera que, se a proposta for aprovada pelos deputados estaduais, os servidores farão coro em assembleia da categoria. “Foi um avanço construído com o apoio dos deputados. Os servidores que conversamos foram bem receptivos”, disse o sindicalista. Segundo ele, a proposta será levada para apreciação da categoria somente depois de ser aprovada pelas comissões da Casa de Leis.

A expectativa é que a emenda seja votada nesta quinta nas Comissões de Constituição e Justiça; Finanças e Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Desenvolvimento Urbano e Serviços Públicos, esta última presidida por Ricardo Ayres, que é um dos responsáveis pela negociação e um dos que assinam a propositura.

"Confio muito na liderança do sindicato, na paciência dos servidores e também na responsabilidade do poder Executivo em reconhecer o protagonismo da AL de tentar mediar a situação", disse Ayres.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247