Alckmin boicota evento de Aécio em SP

Com a desculpa de conflito de agenda, governador Paulista não comparece a encontro tucano em Ribeirão Preto e manda avisar que também não vai a Barretos neste sábado (24); estrategia de Alckmin é não melindrar José Serra, que trava com o senador mineiro uma guerra aberta pela vaga tucana na disputa presidencial de 2014; FHC, que recebeu Aécio em São Paulo, tenta colocar panos quentes

Com a desculpa de conflito de agenda, governador Paulista não comparece a encontro tucano em Ribeirão Preto e manda avisar que também não vai a Barretos neste sábado (24); estrategia de Alckmin é não melindrar José Serra, que trava com o senador mineiro uma guerra aberta pela vaga tucana na disputa presidencial de 2014; FHC, que recebeu Aécio em São Paulo, tenta colocar panos quentes
Com a desculpa de conflito de agenda, governador Paulista não comparece a encontro tucano em Ribeirão Preto e manda avisar que também não vai a Barretos neste sábado (24); estrategia de Alckmin é não melindrar José Serra, que trava com o senador mineiro uma guerra aberta pela vaga tucana na disputa presidencial de 2014; FHC, que recebeu Aécio em São Paulo, tenta colocar panos quentes (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, não apareceu na sexta-feira (23) em evento do PSDB em Ribeirão Preto, no interior paulista, organizado pelo senador mineiro e presidenciável Aécio Neves. Fez chegar ainda ao correligionário que não dará as caras no encontro de Barretos, neste sábado, alegando problemas de agenda. O real motivo, porém, é para não melindrar o ex-governador José Serra, que trava com Aécio uma disputa encarniçada pela indicação tucana à vaga do partido na disputa pela Presidência da República em 2014.

Em Ribeirão, Aécio se reuniu com cerca de 300 pessoas entre prefeitos aliados do PSDB e dirigentes de partidos. O senador tentou minimizar o clima tenso no partido ao dizer que não há guerra no PSDB, elogiou Serra e disse esperar que ele fique no partido. "Só existe trégua quando há guerra. Serra é um dos homens públicos mais preparados do Brasil, companheiro do PSDB e todos nós esperamos que ele possa continuar conosco no partido."

Se Alckmin não quer dar motivos para que Serra volte sua ira contra ele, o mesmo temor não tem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que se reuniu com Aécio em São Paulo e disse que acompanhará o aliado em viagens estratégicas pelo país. O ex-presidente tem intermediado encontros do mineiro com donos de empreiteiras e bancos, além de economistas e intelectuais.

FHC tem trabalhado, sem muito sucesso, por um pacto de convivência entre Aécio e Serra na tentativa de preservar o partido até que se defina o destino do ex-governador paulista, que avalia migrar para o PPS.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email