Alckmin defende deputado tucano ficha-suja

Ex-prefeito de Osasco, Celso Giglio está como presidente interino da Assembleia Legislativa, mesmo tendo sido barrado pela Lei da Ficha Limpa após ter reprovadas as contas de sua última gestão; para o governador, só está nessa condição quem não tem maioria na Câmara

Alckmin defende deputado tucano ficha-suja
Alckmin defende deputado tucano ficha-suja
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Apesar de ter sido barrado pela Lei da Ficha Limpa, o deputado estadual do PSDB Celso Giglio, além de assumir a presidência interina da Assembleia Legislativa foi defendido nesta quarta-feira pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Giglio passou a ser considerado ficha-suja, condição que o torno inelegível, após ter barradas as contas de sua última gestão, quando era prefeito de Osasco (SP). Mesmo assim, assumiu como presidente interno no último sábado, no lugar do titular Barros Munhoz (PSDB), que pediu licença.

Para Alckmin, o deputado só foi considerado ficha-suja por não ter maioria na Câmara. "[Quando há] uma conta rejeitada no Tribunal de Contas do Estado, se você tem maioria na Câmara, rejeita o parecer do tribunal. E quem dá a última palavra é o Legislativo. Se você não tem maioria, mantém a rejeição, você fica inelegível", declarou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247