Alckmin diz que PSDB está unido para mudar o ECA

Proposta do governador de São Paulo enviada à Câmara amplia o tempo de internação de menores infratores; Geraldo Alckmin disse que espera que parlamentares tucanos entrem em um consenso sobre o assunto; "Acho que a defesa do nosso projeto já é unificada. A possibilidade de você mudar a lei atingindo praticamente os mesmos objetivos é muito maior do que alterar a Constituição, além de que (a PEC) demandaria um debate no STF", disse; governador defende que tempo de internação em casos de crimes hediondos passe de três para oito anos

Proposta do governador de São Paulo enviada à Câmara amplia o tempo de internação de menores infratores; Geraldo Alckmin disse que espera que parlamentares tucanos entrem em um consenso sobre o assunto; "Acho que a defesa do nosso projeto já é unificada. A possibilidade de você mudar a lei atingindo praticamente os mesmos objetivos é muito maior do que alterar a Constituição, além de que (a PEC) demandaria um debate no STF", disse; governador defende que tempo de internação em casos de crimes hediondos passe de três para oito anos
Proposta do governador de São Paulo enviada à Câmara amplia o tempo de internação de menores infratores; Geraldo Alckmin disse que espera que parlamentares tucanos entrem em um consenso sobre o assunto; "Acho que a defesa do nosso projeto já é unificada. A possibilidade de você mudar a lei atingindo praticamente os mesmos objetivos é muito maior do que alterar a Constituição, além de que (a PEC) demandaria um debate no STF", disse; governador defende que tempo de internação em casos de crimes hediondos passe de três para oito anos (Foto: Paulo Emílio)

247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que o PSDB está unido em torno da proposta que enviou à Câmara para ampliar o tempo de internação de menores infratores na Fundação Casa.

Apesar do seu partido ter votado contra a PEC da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, Alckmin disse esperar que senadores e deputados entrem em um consenso sobre o assunto.

"Acho que a defesa do nosso projeto já é unificada. A possibilidade de você mudar a lei atingindo praticamente os mesmos objetivos é muito maior do que alterar a Constituição, além de que (a PEC) demandaria um debate no STF", disse.

O projeto do governador prevê que o tempo de internação de menores infratores que tenham cometido crimes hediondos passe de três para oito anos, alterando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Segundo ele, independentemente do projeto, o combate à impunidade deve ser o foco das discussões. "Não pode ficar do jeito que está. Crime grave, crime hediondo, precisa ter uma punição maior. O que não estabelece limite, deseduca", defendeu.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247