Alckmin está na lista de Janot

Presidenciável tucano também aparece na lista de pedidos de inquérito do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; além dele, outros nove governadores aparecem na lista, incluindo Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Beto Richa (PSDB-PR) e Renan Filho (PMDB-AL); situação pode aumentar resistência ao nome de Alckmin para corrida ao Planalto em 2018

Presidenciável tucano também aparece na lista de pedidos de inquérito do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; além dele, outros nove governadores aparecem na lista, incluindo Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Beto Richa (PSDB-PR) e Renan Filho (PMDB-AL); situação pode aumentar resistência ao nome de Alckmin para corrida ao Planalto em 2018
Presidenciável tucano também aparece na lista de pedidos de inquérito do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; além dele, outros nove governadores aparecem na lista, incluindo Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Beto Richa (PSDB-PR) e Renan Filho (PMDB-AL); situação pode aumentar resistência ao nome de Alckmin para corrida ao Planalto em 2018 (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aparece entre os políticos na segunda lista de pedidos de inquéritos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 

Há ainda menção a pelo menos outros nove governadores. Nesses casos, Janot pediu ao STF que envie as delações ao Superior Tribunal de Justiça, onde eles têm foro.

Entre eles, estão Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Fernando Pimentel (PT-MG), Tião Viana (PT-AC), Beto Richa (PSDB-PR) e Renan Filho (PMDB-AL).

As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo.

"O pedido, no caso dos governadores, foi feito por Janot ao ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal).

Se Fachin acatar o pedido, a procuradoria pode então pedir ao STJ a abertura de inquérito, algo que ainda não foi decidido por Janot."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247