Alckmin faz oferta gorda ao PSB. E agora, Marina?

Em troca de apoio à sua campanha à reeleição, governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ofereceu uma vaga em sua chapa para o partido de Eduardo Campos; proposta é gorda e os socialistas têm aí um caminho para, a longo prazo, governar o estado de maior colégio eleitoral do País; nome provável seria o do deputado Márcio França, presidente do PSB paulista e favorável à aliança; Marina Silva, no entanto, é terminantemente contra subir no mesmo palanque que Alckmin nas eleições

Em troca de apoio à sua campanha à reeleição, governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ofereceu uma vaga em sua chapa para o partido de Eduardo Campos; proposta é gorda e os socialistas têm aí um caminho para, a longo prazo, governar o estado de maior colégio eleitoral do País; nome provável seria o do deputado Márcio França, presidente do PSB paulista e favorável à aliança; Marina Silva, no entanto, é terminantemente contra subir no mesmo palanque que Alckmin nas eleições
Em troca de apoio à sua campanha à reeleição, governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ofereceu uma vaga em sua chapa para o partido de Eduardo Campos; proposta é gorda e os socialistas têm aí um caminho para, a longo prazo, governar o estado de maior colégio eleitoral do País; nome provável seria o do deputado Márcio França, presidente do PSB paulista e favorável à aliança; Marina Silva, no entanto, é terminantemente contra subir no mesmo palanque que Alckmin nas eleições (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP247 – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), fez hoje uma proposta gorda ao PSB de Eduardo Campos em troca de apoio à sua campanha à reeleição. Segundo ele, que se reuniu com o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), para articular a eventual aliança, os socialistas serão compensados com a vaga de candidato a vice-governador ou de senador pela chapa tucana.

Ser vice de Alckmin é um caminho para que os socialistas governem um dia o estado de maior colégio eleitoral do País. O partido, no entanto, tem de lidar agora com a recusa da ex-senadora Marina Silva, que já aceitou ser vice na chapa de Campos impondo a condição de não subir no mesmo palanque que Alckmin durante as eleições. Não é a primeira vez que Marina se coloca no caminho das alianças do PSB.

Caso seja acertada a aliança, o provável nome do PSB para ocupar a vice é o do deputado Márcio França, presidente do PSB paulista e que há meses vem articulando o apoio a Alckmin. O diretório do partido no estado vem resistindo à pressão de Marina para que a legenda lance um candidato próprio - de acordo com a ex-senadora, a melhor opção seria Luiza Erundina.

Ciente do obstáculo, o tucano fez outras investidas ao partido do governador de Pernambuco nesta mesma semana. Alckmin conversou com Campos por telefone e elogiou Marina Silva. Na última segunda-feira, o governador disse ter apreço e admiração pela ex-senadora e que respeitará "qualquer que seja a decisão" do PSB sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247