Alckmin segue Haddad em ajuda a usuários de drogas

Governador tucano anunciou pagamento de bolsa mensal de R$ 395 a 40 dependentes químicos, em contrapartida de uma jornada de trabalho de 24 horas semanais e participação em curso de capacitação profissional; prefeito petista de SP lançou a iniciativa no início do ano   

Governador tucano anunciou pagamento de bolsa mensal de R$ 395 a 40 dependentes químicos, em contrapartida de uma jornada de trabalho de 24 horas semanais e participação em curso de capacitação profissional; prefeito petista de SP lançou a iniciativa no início do ano 
 
Governador tucano anunciou pagamento de bolsa mensal de R$ 395 a 40 dependentes químicos, em contrapartida de uma jornada de trabalho de 24 horas semanais e participação em curso de capacitação profissional; prefeito petista de SP lançou a iniciativa no início do ano    (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) aderiu ao projeto do prefeito Fernando Haddad (PT) e anunciou ontem o pagamento de uma bolsa mensal de R$ 395 a 40 dependentes químicos, em contrapartida de uma jornada de trabalho de 24 horas semanais e curso de capacitação profissional. 

Na capital paulista, Haddad lançou a iniciativa no início do ano, com 400 vagas e salário de até R$ 450 por mês, e chegou a ser criticado pela gestão tucana.

A diferença do programa estadual é que, para participar, o usuário precisará ter recebido "alta" médica. Eles poderão trabalhar ajudando na recuperação de outros drogados no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), ou na Secretaria da Justiça, como auxiliar de serviços gerais e auxiliar administrativo. O contrato de trabalho tem duração de nove meses, sendo seis horas por dia, de segunda a quinta-feira, e participação no curso profissionalizante às sextas.

Leia aqui reportagem do Valor sobre o assunto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email