Alimentos e remédios pressionam a inflação

Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Goiânia) apurado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos ficou em 0,69%, acima da taxa de 0,4% de março, porém inferior ao IPC apurado em abril de 2012, que foi de 1,01%; feijão carioca (9,47%), pão francês (5,26%) e leite tipo C longa vida (4,53%) foram os itens alimentícios que mais contribuiram para a elevação

Alimentos e remédios pressionam a inflação
Alimentos e remédios pressionam a inflação

Goiás247_ A alta dos preços dos alimentos e o reajuste dos medicamentos foram os principais responsáveis pela inflação apurada no mês de abril em Goiânia pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan). No mês passado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Goiânia) ficou em 0,69%, portanto acima da taxa de 0,4% de março, mas inferior ao IPC apurado em abril de 2012, que foi de 1,01%.

O grupo da alimentação registrou acréscimo de 0,87%, com destaque para a altas do feijão carioca (9,47%), pão francês (5,26%) e leite tipo C longa vida (4,53%). Já o grupo de saúde e cuidados pessoais teve elevação de 1,67%, devido ao impacto do reajuste nos preços dos medicamentos em 3,01%, conforme anunciado no início do mês de abril pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

Conforme os pesquisadores do IMB/Segplan, o grupo de vestuário também apresentou forte aumento no índice (1,65%) ocasionado pelo aumento nos preços de produtos da nova coleção outono-inverno, que resultaram em alta de 2,15% para roupa de mulher e 1,89% para roupa de homem.

No mês de abril, dos nove grupos que compõem o IPC-Goiânia, oito registraram acréscimo nos índices. Além de alimentação, saúde e cuidados pessoais, e vestuário, os artigos residenciais apresentaram taxa de 1,42% devido principalmente ao aumento nos preços de colchão de solteiro (6,34%), geladeira (2,79%), guarda-roupa de solteiro (4,43%), conjunto de estofado (2,71%), fogão de quatro bocas (2,54%) e conserto de televisão (6,96%).

Habitação teve aumento de 0,36%, sendo que o aluguel residencial apresentou alta de 0,83%. No grupo de transportes o índice de abril foi de 0,20%, educação teve 0,27%, e comunicação, taxa de 0,14%. Despesas pessoais foi o único grupo com índice negativo no mês passado (-0,30%), por causa de recuos nos preços de corte de cabelo feminino (-3,21%) e dos serviços de manicure e pedicure (-5,77%). No ano, a inflação de Goiânia medida pelo IMB/Segplan acumula índice de 2,76%, e nos últimos 12 meses atingiu 9,94%.

Cesta

O custo da cesta básica, contendo os alimentos necessários à subsistência do trabalhador, aumentou 1,72% em Goiânia no mês de abril e atingiu o valor de R$ 255,55. O levantamento é do IMB/Segplan. Nos quatro primeiros meses do ano o custo da cesta básica acumula taxa de 10,31% na capital, e nos últimos 12 meses, totaliza índice de 21,30%.

Do total de 12 itens da cesta, quatro aumentaram de preço, sete apresentaram redução e um manteve a cotação estável em abril, na comparação com março – farinha e massa. O maior reajuste foi apurado no feijão (6,22%) e a queda mais expressiva ocorreu no óleo (-9,60%).

(Com informações da Comunicação Setorial da Segplan)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247