Alunos da escola 29 de Março partem em defesa da instituição

Estudantes do colégio que foi considerado como pior do Brasil, de acordo com levantamento do Ideb, dizem que estão sendo vítimas de gozação nas ruas e garantem que ensino é bom

Alunos da escola 29 de Março partem em defesa da instituição
Alunos da escola 29 de Março partem em defesa da instituição (Foto: Marina Silva)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

Alunos da Escola 29 de Março, no bairro Santo Inácio em Salvador, afirmam que estão constrangidos depois da repercussão nacional que apontou o estabelecimento de ensino como o pior do Brasil, segundo avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Brasil.

"Hoje (ontem), fiquei com vergonha de vir pra o colégio. Na rua, muitos colegas ficaram me zoando, dizendo que a minha escola é a pior do Brasil. Me senti desestimulada. Aqui não é o melhor lugar do mundo para estudar, mas também não é o pior", lamentou Vanessa Stuerp (14), estudante da 8ª série do colégio em entrevista ao jornal Correio*.

E não é só Vanessa quem reclama. Outros alunos fizeram coro de protesto contra os resultados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC), que atribuiu média 0,1 ao desempenho da unidade escolar no Ideb. "Saiu esse 'baguio' (sic) do MEC, mas confundiram nossa escola", disse o estudante do 1º ano do ensino fundamental, Marcos Antônio, 15 anos.

"Aqui é decente. Estamos revoltados e muita gente fez onda com a nossa cara. Meu colégio é o pior? Que ideia! Disseram que já vai consertar a informação", continuou o aluno. Ele e as colegas Laiana, Vanessa, Tatiele, Jandiara e Jamile levantam o moral da escola. "Os únicos problemas que temos aqui é com alguns quadros que estão quebrados", assegurou Jamile.

A 29 de Março teve a pior média do Brasil na comparação com outras 30.841 escolas públicas em análise referente ao período de 5ª à 8ª série do ensino fundamental. No local, estudam 750 alunos, divididos em três turnos, entre ensinos fundamental e médio.

A superintendente de acompanhamento e avaliação do sistema educacional da Bahia, Eny Bastos, atribuiu a média da 29 de Março a um erro de migração de dados. "É responsabilidade da SEC. Esse dado é irreal. A taxa de rendimento correto dessa unidade escolar é 2,4", afirmou ao diário.

Ela classificou como "bons" os resultados da Bahia no Ideb. O estado teve média geral (considerando todas as séries) de 4,2, abaixo da meta de 4,6.

Segundo Bastos, a Secretaria da Educação vai encaminhar os cálculos do Colégio 29 de Março ao Ministério da Educação, a fim de corrigir as informações. "Não podemos estigmatizar a instituição negativamente. Os professores, gestores e os estudantes fazem esforço para que a escola melhore. A escola não fez a correção, mas não vamos culpá-los por isso. O erro é da SEC", admitiu.

"Estamos verificando quais escolas aumentaram ou reduziram médias e apurando se alguma outra unidade, por acaso, apresentou o mesmo problema com os dados", diz.

Eny Bastos disse que técnicos da SEC estiveram na escola nesta quarta (15) para conversar com a comunidade escolar a respeito do resultado negativo. "Vamos escrever uma carta de retratação pública. Sabemos que estão todos envergonhados e vamos reverter essa imagem", salientou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email