Alunos da Ufal passam mal ao ingerir refeição

Estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que ficam alojados na Residência Universitária, passaram mal após ingerir refeição servida no Restaurante Universitário (RU); pelo menos sete pessoas receberam atendimento no mini-pronto socorro, em Maceió; caso será apurado

Estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que ficam alojados na Residência Universitária, passaram mal após ingerir refeição servida no Restaurante Universitário (RU); pelo menos sete pessoas receberam atendimento no mini-pronto socorro, em Maceió; caso será apurado
Estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que ficam alojados na Residência Universitária, passaram mal após ingerir refeição servida no Restaurante Universitário (RU); pelo menos sete pessoas receberam atendimento no mini-pronto socorro, em Maceió; caso será apurado (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - Vários estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) que ficam alojados na Residência Universitária passaram mal após ingerir a quarta refeição servida pelo Restaurante Universitário (RU). Sete alunas chegaram a ser levadas ao mini-pronto socorro, onde foram atendidas. A Ufal vai apurar o que pode ter provocado o problema e não descarta implantar a mudança no cardápio servido no restaurante da instituição. 

De acordo com o estudante de Pedagogia Cladielson Barnardo da Silva, de 22 anos, um dos que ingeriram o lanche noturno servido pelo restaurante, o fato aconteceu na última sexta-feira (20), quando muitos alunos alojados na Residência Universitária acordaram com dor de barriga, vomitando e passando mal. 

“Quando acordei, estava sentindo uma dor muito forte. Saí do quarto e encontrei no corredor outra pessoa passando mal. Depois vi que havia mais pessoas. Algumas vomitaram, tiveram diarreia e dor de barriga. Eu preferi me curar sozinho, mas sete meninas foram ao pronto-socorro e algumas passaram a tarde lá, tomando soro”, destacou o estudante. 

Segundo ele, uma coxinha teria provocado o mal-estar coletivo, alimento considerado pelos estudantes como “pesado” para ser ingerido no final da noite. “Nós já entramos em contato com os responsáveis pelas refeições e eles solicitaram que nós sugeríssemos um cardápio alternativo para o turno da noite. Elaboramos uma carta de repúdio, anexamos os comprovantes de atendimento médico e estamos aguardando a próxima reunião, pois queremos que eles sirvam algo mais leve”, afirmou Cladielson, que é natural de Quebrangulo e reside desde janeiro nas dependências da Ufal.

De acordo com o pró-reitor Estudantil da Ufal, Pedro Nelson Bonfim, uma reunião com a nutricionista responsável pelas refeições já foi agendada para que o assunto seja discutido, o problema identificado e uma solução encontrada. 

“Vamos identificar o que realmente provocou essa indisposição nos alunos. O padrão de higienização utilizado no restaurante obedece a todas as normas e, por isso, precisamos averiguar o que pode ter causado esse problema”, afirmou o representante da Ufal. 

Segundo ele, a quarta refeição é entregue pelo RU e levada pelos alunos para os respectivos quartos. Diante disso, uma das hipóteses levantadas é o acondicionamento inadequado do alimento. 

“Vamos avaliar todas as possibilidades. Os alunos pegam a quarta refeição, mas não fazem uso imediato no próprio restaurante. É preciso saber se o alimento foi acondicionado adequadamente e avaliar se ele se estraga rapidamente. Se for o caso, vamos mudar o cardápio”, pontuou. 

Segundo o pró-reitor, essa foi a primeira vez que um fato dessa natureza chegou ao conhecimento da instituição. Ele conta que tomou conhecimento do problema na última quarta-feira e que, na ocasião, soube que três alunos chegaram a receber atendimento médico.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247