Amapaenses protestam contra apagão e divulgam contas de luz de mais de R$ 1 mil

Moradores do Amapá denunciaram os preços abusivos que pagam em energia no estado. Alguns valores chegaram a mais de R$ 1 mil, inclusive em casas onde moram somente três pessoas

(Foto: Reprodução/Twitter | Rudja Santos/Amazônia Real)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Moradores do Amapá denunciaram os preços abusivos que pagam em energia no estado, atingido por uma crise de serviços elétricos após um transformador pegar fogo em uma subestação em Macapá (AP) por causa do superaquecimento de uma peça. Os valores das contas variam de R$ 500 a mais de R$ 1 mil, inclusive em casas onde moram somente três pessoas. 

Macapá ocupa a 16ª posição entre as cidades do Brasil com o preço de energia mais alto, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Na capital do estado, o valor é de 0,537 R$/kWh. Em primeiro lugar na lista está Belém do Pará, com 0,684 R$/kWh.

"É um absurdo que a gente trabalha praticamente só pra pagar energia", escreveu um internauta no Twitter, rede social em que outro usuário afirmou dever mais de R$ 10 mil para a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), responsável pela distribuição no estado.

Outros moradores, não pelo Twitter, mas durante entrevistas, apontaram descaso do governo federal. Se fosse o estado de São Paulo, não estaria esquecido, avaliou um estudante. 

O apagão ocorreu na noite do dia 3 de novembro e atingiu quase 90% da população do Amapá. As pessoas que moram no estado terão um novo rodízio de energia a partir desta quinta-feira (12). De acordo com a CEA, o fornecimento de eletricidade para os bairros de Macapá deverá acontecer em turnos de 3 em 3 horas ou de 4 em 4 horas.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247